STF nega liminar a envolvido na máfia das sanguessugas

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado sexta-feira, 14 de julho de 2006 as 12:55, por: CdB

Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), a ministra Ellen Gracie mandou arquivar o mandado de segurança impetrado em favor do deputado Nilton Capixaba (PTB-RO). Ele é investigado pela CPI dos Sanguessugas por suposto envolvimento com a máfia que fraudava a compra de ambulâncias com dinheiro do Orçamento. O deputado impetrou mandado de segurança, com pedido de liminar, contra atos supostamente ilegais do diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Lacerda, do delegado da PF, Tardelli Boaventura, e do presidente da CPI dos Sanguessugas, Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ).

A ministra afirmou que o STF não tinha competência para julgar atos praticados por delegados da Polícia Federal. A defesa do deputado alegou no mandado de segurança que a PF não tinha autorização para interceptar ligações telefônicas de membros do Congresso Nacional. Quanto ao segundo mandado de segurança impetrado por Capixaba, contra Biscaia, a presidente do STF decidiu apreciar a liminar após a chegada de informações do presidente da CPI. Os advogados de Capixaba alegaram que o presidente da CPI estaria cometendo atos que causam “dano irreparável” à defesa do parlamentar.

O deputado Capixaba é um dos mais de 60 parlamentares investigados por suposto envolvimento com a máfia das ambulâncias, esquema que fraudava a venda de ambulâncias para prefeituras, desmontado pela Polícia Federal durante a Operação Sanguessuga.