Sucessora designada de Merkel desiste de candidatura a chanceler

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020 as 12:55, por: CdB

Annegret Kramp-Karrenbauer renuncia ao posto de líder da CDU e diz que não concorrerá à sucessão de Merkel. Decisão é anunciada em meio a crise provocada por aliança com populistas de direita em eleição regional.

Por Redação, com DW – de Berlim

A sucessora designada por Angela Merkel, Annegret Kramp-Karrenbauer, decidiu renunciar à sua candidatura como chanceler federal da Alemanha e anunciou nesta segunda-feira  que deixará a presidência da União Democrata Cristã (CDU), em meio à grave crise provocada pela aliança de sua legenda com populistas de direita na eleição para o governo do estado da Turíngia.

Kramp-Karrenbauer anunciou renúncia como chefe da CDU, mas permanece como ministra da Defesa
Kramp-Karrenbauer anunciou renúncia como chefe da CDU, mas permanece como ministra da Defesa

Kramp-Karrenbauer, conhecida como AKK, disse durante reunião com a cúpula da CDU que “não tem objetivo de ser candidata a chanceler” e informou que iniciará no meio do ano o processo para escolha de uma nova liderança, antes de deixar a chefia do partido. Merkel afirmou, entretanto, que Kramp-Karrenbauer deve continuar no cargo de ministra da Defesa, que ocupa desde julho de 2019.

A Alemanha deve realizar sua próxima eleição geral no segundo semestre de 2021, quando deve ser decidida a sucessão de Angela Merkel, que é há 15 anos chefe de governo do país e que não pretende concorrer a um quinto mandato como chanceler.

A renúncia de Kramp-Karrenbauer ocorre em meio à crise política gerada pela controversa eleição do governador da Turíngia com ajuda dos votos do partido populista de direita Alternativa para a Alemanha (AfD).

O ocorrido provocou protestos e quebrou o que é considerado um tabu no país em torno da cooperação partidária com populistas de direita. Pouco depois de ser eleito, Thomas Kemmerich, do Partido Liberal Democrático (FDP), renunciou. Ele fora escolhido com apoio de legisladores estaduais de seu partido, da CDU e da AfD.

O caso provocou também a queda, por ordem de Merkel, do secretário de Estado parlamentar, o encarregado do governo alemão para os estados do leste do país, Christian Hirte, que foi duramente criticado por parabenizar Kemmerich.

CDU

Kramp-Karrenbauer foi eleita presidente da CDU em dezembro de 2018, sucedendo a Merkel, que decidiu renunciar à liderança do partido devido à sua crescente impopularidade após uma série de derrotas eleitorais e a ascensão eleitoral da AfD.

AKK, de 57 anos, foi designada pela própria Merkel como sua sucessora mesmo antes de ser escolhida chefe da CDU. Entretanto, nunca conseguiu impor sua autoridade no partido e foi fortemente criticada pela aliança surpresa entre CDU, FDP e os populistas de direita da AfD para eleger o governador da Turíngia e, assim, impedir a reeleição do socialista Bodo Ramelow, do partido A Esquerda.