Suíça registra mais de 860 casos de efeitos colaterais em pessoas vacinadas

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 26 de março de 2021 as 13:31, por: CdB

 

A idade média das pessoas afetadas foi de 64 anos, com 42,7% tendo 75 anos ou mais. Segundo dados da Swissmedic, algum tempo depois da vacinação, 37 pessoas morreram, com idade média de 84 anos, muitas com doenças graves.

Por Redação, com Sputnik – de Paris/Londres

A idade média das pessoas afetadas foi de 64 anos, com 42,7% tendo 75 anos ou mais. Segundo dados da Swissmedic, algum tempo depois da vacinação, 37 pessoas morreram, com idade média de 84 anos, muitas com doenças graves.

Mulher recebe vacina da Moderna contra o coronavírus em Roma, na Itália

A agência médica reguladora da Suíça, a Swissmedic, encontrou pelo menos 862 casos de efeitos colaterais em pessoas que tomaram vacina contra a covid-19 no país.

“Em 23 de março de 2021, a Swissmedic, em cooperação com os centros regionais (…), avaliou 862 notificações de suspeitas de reações adversas a medicamentos de vacinações (contra a) covid-19 na Suíça. Os relatórios confirmam o perfil de efeitos colaterais conhecido dos estudos de aprovação ou listados nas informações do medicamento”, lê-se na nota da Swissmedi

A agência médica reguladora acrescenta que não foram detectados novos problemas relacionados à segurança das vacinas e destaca que os casos de efeitos colaterais em questão não alteraram a correlação positiva entre os benefícios e os riscos associados às duas vacinas licenciadas na Suíça: o imunizante dos laboratórios Pfizer/BioNTech e o da farmacêutica Moderna.

De acordo com a Swissmedic, dos 862 casos, 460 correspondem à vacina Comirnaty da Pfizer/BioNTech, e 393 são relacionadas à vacina da Moderna. Em nove casos não foi especificado qual vacina foi utilizada.

Detalhes dos casos de efeitos colaterais

As mulheres constituíam 67,9% dos afetados, enquanto os homens respondiam por 28,2%. Em 3,9% dos casos o sexo da pessoa não foi indicado. Entre todos os efeitos colaterais, 599 casos (69,5%) foram classificados como não graves e 263 (30,5%) como graves.

A idade média das pessoas afetadas foi de 64,4 anos (variação de 16 a 101 anos), com 42,7% tendo 75 anos ou mais. Segundo dados da Swissmedic, algum tempo depois da vacinação, 37 pessoas morreram, com idade média de 84 anos, muitas com doenças graves.

“Esses (últimos) casos foram analisados ​​com especial cuidado. De acordo com os dados disponíveis hoje, as mortes foram causadas por infecções, eventos cardiovasculares, doenças nos pulmões ou no aparelho respiratório, contraídas antes da vacinação”, afirma o comunicado.

A Suíça já registrou 9631 óbitos causados pela covid-19 e 592 mil de casos da doença. Já foram administradas 1.248.096 doses de vacinas contra a doença no país.

Reino Unido e França

O ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, acusou nesta sexta-feira o Reino Unido de chantagem sobre as entregas de vacinas contra o novo coronavírus.

O chanceler francês acusou o Reino Unido de “chantagem” sobre as entregas da vacina AtraZeneca contra a covid-19.

– Não pode fazer chantagem. Espero que cheguemos a um acordo, seria chocante se houvesse uma guerra das vacinas entre o Reino Unido e a Europa – disse Le Drian à rádio France Info.

Relações de cooperação

O chanceler francês revelou que quer ter relações de cooperação com o Reino Unido para que a AstraZeneca cumpra seus compromissos assinados com a União Europeia.

– O Reino Unido está orgulhoso de ter vacinado muito com a primeira dose, embora eles tenham problemas com a segunda dose (…) Hoje, há tantos vacinados com duas doses na França como no Reino Unido”, segundo Le Drian.

Na quinta-feira, a União Europeia, enfrentando os problemas no fornecimento da vacina AstraZeneca, bloqueou as exportações desta vacina para fora da UE até que todas as doses da vacina sejam entregues à Europa.