Supervisor da Fifa recomenda expulsão da Grécia de torneios internacionais

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 29 de março de 2018 as 13:35, por: CdB

Por enquanto, o temido “Grexit”, a expulsão dos clubes e seleções da Grécia das competições internacionais – não é mais que uma possibilidade

Por Redação, com EFE – de Zurique:

O presidente do comitê da Fifa para supervisionar a Federação Grega de Futebol (EPO, sigla em grego), Herbert Huebel, recomendou a expulsão dos clubes do país e de suas seleções nacionais das competições internacionais.

Fifa recomenda expulsão da Grécia de torneios internacionais

– A situação atual não permite que a EPO garanta o bom funcionamento das competições nacionais – explicou Huebel em seu relatório à Fifa; que foi divulgado nesta quinta-feira pela imprensa do país.

Por enquanto, o temido “Grexit”, a expulsão dos clubes e seleções da Grécia das competições internacionais – não é mais que uma possibilidade; pois a decisão do Comitê da Fifa só deve acontecer em maio ou junho e; até lá; a Grécia terá oportunidade de resolver as questões que não convenceram o supervisor austríaco.

Grexit

Essa pequena possibilidade de evitar o “Grexit” mostra que o relatório de Huebel busca pressionar a federação grega antes de puni-la definitivamente.

A situação a que o relatório se refere fala de “repetidos incidentes de violência nos estádios”; da lentidão na hora de resolver conflitos, de comunicar e iniciar as decisões tomadas; assim como a não implementação efetiva das recomendações que o comitê emitiu em fevereiro.

Huebel destacou em seu relatório a violência no incidente ocorrido em 11 de março quando o presidente do PAOK Salônica, Ivan Savvidis; invadiu o campo com uma pistola para protestar contra a anulação de um gol.

– É a segunda vez nos últimos dois anos que o campeonato nacional fica suspenso por razões relacionadas com a violência – explicou Huebel.

PAOK

Após esse episódio, a direção do Campeonato Grego decidiu descontar três pontos; do PAOK na classificação atual e impor a Savvidis a proibição de entrar; a um estádio durante três anos; além do pagamento de uma multa de 100 mil euros.

O possível banimento de clubes e seleções afetaria profundamente o futebol grego; já que nenhuma equipe, sem importar idade; sexo e o campeonato que disputam; poderia participar de competições internacionais; sequer na Liga dos Campeões da Uefa e na Liga Europa; o que poderia levar a um êxodo de jogadores para outros países.

Fifa anuncia árbitros da Copa

A Fifa anunciou nesta quinta-feira a lista de 36 árbitros e 63 assistentes; procedentes de 46 países; selecionados para a Copa do Mundo deste ano; na Rússia, e incluiu o mesmo trio brasileiro escolhido para o Mundial de 2014.

Ricci

O árbitro Sandro Meira Ricci, mineiro, mas que apita pela federação paranaense, será pela segunda vez seguida o representante brasileiro, assim como os auxiliares Emerson de Carvalho, da federação paulista, e Marcelo van Gasse, de Minas Gerais.

Pela primeira vez desde 1938, não haverá juízes britânicos no Mundial. Mark Clattenburg, o único na lista elaborada pela Fifa em 2016 e que dirigiu a final da Eurocopa desse ano, entre Portugal e França; deixou a federação inglesa no ano passado para ser o presidente do colégio de árbitros da Arábia Saudita.

Rússia

– A escolha do grupo final de árbitros para atuar na Copa do Mundo da Rússia 2018 foi baseada na competência e na personalidade de cada árbitro; assim como o seu nível de compreensão do futebol e a sua capacidade; para ler o jogo e as diferentes táticas empregadas pelas equipes – disse a Fifa em comunicado.

Ainda segundo a nota, durante o torneio, os selecionados poderão exercer diversos papéis: árbitro, assistente; quarto árbitro, árbitro reserva e oficiais de vídeo.

Na segunda metade de abril, os escolhidos participarão de um seminário; após o qual serão anunciados quais deles ficarão responsáveis pelo VAR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *