Suspeito de ataque em Toronto enfrenta acusações na Justiça

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 24 de abril de 2018 as 13:44, por: CdB

Apesar de o pior ataque no Canadá em décadas ter a marca de outros ataques letais realizados por apoiadores do Estado Islâmico nos Estados Unidos e na Europa

Por Redação, com Reuters – de Toronto:

O motorista suspeito de matar 10 pessoas e ferir outras 15 ao lançar uma van alugada sobre pedestres em uma calçada de Toronto compareceu pela primeira vez ante um tribunal nesta terça-feira, sob expectativa de que serão revelados os primeiros detalhes do motivo do ataque.

Trudeau, fala à imprensa em Toronto

Apesar de o pior ataque no Canadá em décadas ter a marca de outros ataques letais realizados por apoiadores do Estado Islâmico nos Estados Unidos e na Europa, autoridades canadenses afirmam que o incidente não representa uma ameaça à segurança nacional.

O suspeito Alek Minassian, de 25 anos, ingressou em um tribunal de Toronto nesta terça-feira de manhã. Ele estava com a cabeça raspada e olhando para baixo, enquanto os promotores anunciaram as acusações contra ele por 10 homicídios em primeiro grau.

Os procedimentos na corte foram iniciados após o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, fazer um pronunciamento sobre o ataque do lado de fora do Parlamento, em Ottawa, pedindo que todos os canadenses permaneçam unidos com Toronto.

– Nós não podemos como canadenses escolher viver com medo todos os dias enquanto fazemos nossas tarefas cotidianas. Precisamos nos focar em fazer o que podemos e precisamos manter os canadenses seguros enquanto nos mantemos leais à liberdade e aos valores que todos nós canadenses prezamos – disse Trudeau.

EUA e UE

Os Estados Unidos e a Europa tiveram uma série de ataques mortais em; que veículos foram usados ​​para atingir pedestres; incluindo um ataque de 31 de outubro em Nova York que matou oito pessoas.

Edifícios e locais de trabalho na região onde a van atingiu pedestres em Toronto foram bloqueados; e uma estação de metrô próxima foi fechada.

O incidente aconteceu a cerca de 30 quilômetros do centro da cidade, onde os ministros das Relações Exteriores do G7; formado por Canadá, Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha, Itália e Japão; se reuniu nesta segunda-feira. Não houve nenhuma mudança perceptível na segurança em torno do Hotel Intercontinental, onde os ministros se reuniam.

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, disse que as autoridades estão investigando o incidente.

 – Ainda estamos coletando informações e, assim que pudermos; compartilharemos com os canadenses – afirmou Trudeau a repórteres cerca de uma hora após a notícia do incidente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *