2018 é um ano para a Band esquecer que existiu

Por Flávio Ricco – Um conjunto de ações que visa, antes de tudo, colocar ordem na casa, antes de alçar voos mais ousados. O 2018 que está terminando, para a Band, é um ano para ser esquecido. Ou deve servir apenas como referência para evitar os erros cometidos.

Continue lendo

Numa TV que não ri, a Record chora o dia inteiro

Por Flávio Ricco – A televisão como um todo, e aí não entra este ou aquele canal, praticamente rifou o humor da sua programação e os dois remanescentes, Praça e Escolinha, apenas seguem o curso do sucesso dos seus criadores Manoel de Nóbrega e Chico Anysio.

Continue lendo