Pesquisa do Banco Central aponta para inflação mais alta este ano

O cálculo para 2021 está próximo do limite da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. O centro da meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é de 2,25% e o superior de 5,25%.

Continue lendo

Presidente e diretoria do Banco Central iniciam mandatos fixos

De acordo com a Lei Complementar nº 179, sancionada em fevereiro de 2021, fica estabelecida a autonomia do BC, com mandatos definidos para os dirigentes da autarquia. Ficam definidos, assim, os parâmetros para a independência completa da autoridade monetária, fato até agora inédito na história da autarquia.

Continue lendo

Ritmo de crescimento do país não reduz as perdas na pandemia

Em fevereiro, o índice apresentou alta de 1,7% na comparação com janeiro, segundo dados dessazonalizados (ajustados para o período). Em relação a fevereiro de 2020, a expansão ficou em 0,98% (sem ajustes). No primeiro bimestre comparado ao mesmo período de 2019, foi registrado crescimento de 0,23%.

Continue lendo

Dívida pública brasileira apresenta novo déficit bilionário

Os dados constam da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgada nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa média de desemprego (14,2%) ficou praticamente estável no trimestre, mas cresceu três pontos em um ano e é a maior para o período em toda a série.

Continue lendo

Copom tende a retomar, nesta semana, alta na taxa básica de juros

O Copom deverá retomar uma decisão que não adota desde 2015, ainda no governo da presidenta deposta Dilma Rousseff (PT), de elevação dos juros. Na ocasião, o Copom liderado por Alexandre Tombini elevou a Selic em 0,50 ponto porcentual, levando a taxa para 14,25% ao ano.  Na época, o balanço de riscos do BC contava com problemas semelhantes, com inflação em alta e real desvalorizado.

Continue lendo