Um íncubo chamado Brasil

O indigente mental que se apresenta como presidente de nossa infeliz República apressou-se a declarar que não iria estender a referida ajuda

Por António Paixão – Não foi um pesadelo. Foi a mera constatação da realidade na última semana. De fato, como já havia bem observado pelo meu ilustre colega, o poeta Carlos Drummond de Andrade, um “pesadelo é a realidade sem censura”.

Continue lendo