Delação de Eike Batista entrega as ações criminosas de grandes bancos

O acordo impõe ao empresário cumprir pena de quatro anos, sendo um em regime fechado, dois no regime semiaberto e um ano em prisão domiciliar. A colaboração de Batista, segundo documento vazado para a mídia conservadora carioca, incluiria as operações do empresário com os bancos JP Morgan, Goldman Sachs, BTG Pactual, ItaúBBA, Morgan Stanley e Credit Suisse.

Continue lendo

Wajngarten passa à condição de investigado em inquérito da Polícia Federal

O processo da PF cumpre ofício do Ministério Público Federal (MPF) que, no final de janeiro, solicitou a abertura de um inquérito criminal para investigar o chefe da Secom por suspeitas de crime de corrupção, peculato – desvio de recursos públicos feito por funcionário público para proveito pessoal ou alheio – e advocacia administrativa  – patrocínio de interesses privados na administração pública.

Continue lendo

Possível corrupção na Secom entra na mira da Justiça Federal

Desde o momento em que o chefe da Secom assumiu a pasta, em abril de 2019, as emissoras Record e Band, para quais a FW Comunicação presta serviços publicitários, têm recebido fatias das verbas públicas cada vez maiores. Assim como o SBT, que foi cliente da empresa de Wajngarten até o primeiro semestre do ano passado.

Continue lendo