IIF: investidores estrangeiros reduzem o volume de aplicações no país

Investimentos

As carteiras de não residentes registraram saída líquida de US$ 4,9 bilhões (R$ 23,4 bilhões) no mês passado, em comparação com saque de US$ 4,5 bilhões (R$ 21,5 bilhões) em abril e entrada de US$ 22,8 bilhões (R$ 109 bilhões) em maio de 2021. O saldo negativo dos últimos três meses ficou em US$ 17,3 bilhões (R$ 87,2 bilhões), de acordo com os dados do IIF.

Continue lendo

Setor de câmbio mostra desconfiança com real valorizado

Gestores dos principais fundos de investimento, dentro e fora do país, vêm investindo em ativos brasileiros atraídos por uma taxa de juros de 13,25% e um mercado muito líquido, mas o preço das opções sugere que eles não estão confiantes o suficiente para manter seus investimentos, sem uma porta de saída e a possibilidade de saque imediato dos valores investidos.

Continue lendo

Dívida global atinge o maior patamar da História

Para cada US$ 1 a mais em dívida, o PIB mundial aumentou US$ 0,27 no período, segundo relatório divulgado globalmente nesta quarta-feira pelo Instituto Internacional de Finanças (IIF), que reúne 450 bancos em 70 países. A marca inédita é atingida no momento em que os EUA iniciam um ciclo de aumento das taxas de juros para combater a inflação.

Continue lendo

Dólar dispara diante temor de outro aumento na taxa de juros dos EUA

Às 9h06, o dólar à vista avançava 1,40%, a R$ 5,1442 na venda. A moeda chegou a tocar os R$ 5,1587 na venda já nos primeiros minutos de negociação. Na B3, às 9h05 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 1,21%, a R$ 5,1785. Já o Ibovespa, principal índice da B3, operava em queda nesta manhã.

Continue lendo

Putin acelera cerco ao dólar e anuncia operações mundiais com o rublo

A medida busca fortalecer a moeda nacional russa, que desvalorizou cerca de 60% após o banimento do sistema financeiro Swift, o confisco das reservas internacionais do Banco Central da Rússia e outro pacote de medidas coercitivas unilaterais. Apesar da mudança na moeda de cobrança, o presidente russo afirmou que manterá o abastecimento e os valores acordados.

Continue lendo

Reflexos da instabilidade econômica derrubam papéis na B3

O índice Bovespa

No início desta tarde, o Ibovespa, principal índica da B3, apresentava baixas, enquanto o petróleo continuava em sua trajetória de valorização diante a crise na Ucrânia, superando a marca de US$110 o barril. Os preços das commodities agrícolas já começavam a afetar o Brasil, onde a cotação do trigo no atacado atingiu o maior patamar desde 2014.

Continue lendo

No balanço do ano, bitcoin e dólar se revelam melhores investimentos

Na contramão dos acontecimentos, aparece o Ibovespa na décima posição, com queda de 10,30% no ano. Após os dois ativos ligados a mercados externos e dolarização, aparecem no ranking três ativos de caráter conservador. São eles CDI, a poupança e o Índice de Hedge Funds da Anbima, o IHFA. Os três ativos valorizaram, respectivamente, 3,95% 2,99% e 1,98%.

Continue lendo