Um ministro terrivelmente bolsonarista

Por Rui Martins – A função de um ministro do STF implica em decisões envolvendo questões definidas pela religião ou pelos dogmas da fé. É possível se imaginar que ele possa decidir deixando de lado suas convicções evangélicas que envolvam, por exemplo, aborto, homossexualidade e interesse das igrejas?

Continue lendo