Especialista russo prevê destino da empresa israelense após caso Pegasus

Em 18 de julho, foi divulgada uma investigação de várias mídias com a colaboração das ONGs Forbidden Stories e Anistia Internacional, conforme a qual o software da empresa israelense NSO Group foi usado para vigiar os celulares de, ao menos, 180 jornalistas, 85 ativistas de direitos humanos e 14 chefes de Estado, nomeadamente o presidente francês, Emmanuel Macron.

Continue lendo