Bolsonaro, um personagem escrachado, ou perdão, Shakespeare

Por Urariano Mota – Depois de rápida pesquisa, concluo que um vilão do escracho como Bolsonaro, na literatura, tão baixo o malfeitor é, tão mínimo raso, deverá ser encontrado em outro drama ainda não escrito. O chão na carne do presidente é uma coisa tão rasteira, que a qualquer momento ele confundirá vacina com vagina, em declarações no Palácio.

Continue lendo