Sem comprovar, Guedes diz que país volta crescer em ‘V mesmo’

Após classificar o auxílio emergencial como medida muito bem sucedida na crise, ele pontuou que o programa de transferência de renda para 2021 pode ser mais robusto desde que o governo equacione o teto de gastos, sem irresponsabilidade fiscal; ou pode ser o Bolsa Família, nos moldes idealizados no governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

Continue lendo

Crescimento nacional desaponta e contração da economia se acentua

O volume de serviços, setor mais diretamente afetado pelos bloqueios à movimentação, cresceu 2,9% no mês na comparação mensal, desempenho recorde para agosto e acima do esperado, mas ainda ficou 9,8% abaixo do nível de fevereiro. Em julho, a atividade teve alta de 3,71% sobre o mês anterior, segundo dado do BC, que inicialmente havia reportado crescimento de 2,15% para o mês.

Continue lendo

Previsão de analistas se distancia dos cálculos do FMI

O Fundo Monetário Internacional, com sede em Washington, calcula que está em curso o pior pesadelo econômico do último século

Para o próximo ano, a expectativa é de crescimento de 3,50%, a mesma previsão há 14 semanas consecutivas. Em 2022 e 2023, o mercado financeiro continua a projetar expansão de 2,50% do Produto Interno Bruto (PIB). As instituições financeiras consultadas pelo BC ajustaram a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo em 1,71% para 1,77%, neste ano. 

Continue lendo

Analistas de mercado veem queda no PIB deste ano menor do que FMI

Os especialistas consultados no levantamento mensal também ajustaram seu cenário para a inflação. A projeção para 2020 está abaixo do piso da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,5% e o superior, 5,5%. Para 2021, a meta é 3,75%, para 2022, 3,50%.

Continue lendo