Iremos resistir com papel e caneta

Por Alex Solnik – Quando, no décimo dia da minha temporada no DOI-Codi, Alemão, o carcereiro alto e loiro que usava japona perguntou o que eu queria que minha mãe trouxesse de casa, já que minha incomunicabilidade tinha sido quebrada, me animei: – Papel e caneta!

Continue lendo