Antiperiferia é o que nos convém

Por Alexandre Lucas – Consagrar os saberes populares, enaltecer as periferias e defender o mesmo arroz e feijão simbólico para as populações das margens excluídas socialmente das cidades é um atestado de permanência nas relações de exploração e opressão. Se considerarmos que o espaço urbano é produzido a partir da lógica desigual de produção.

Continue lendo