Serviços voltam a patinar, para surpresa de analistas econômicos

Ante julho de 2018, a alta foi de 1,8%, maior taxa para o mês, nessa base de comparação, desde 2014

Essas perdas, no entanto, somam-se à queda recorde de 11,9% em abril, chegando ao quarto mês seguido de contração, embora os efeitos da pandemia só tenham sido registrados a partir do final de março, pesando sobre uma atividade que já vinha mostrando dificuldades em engrenar uma recuperação. Nos quatro meses seguidos de retração, o setor de serviços acumula perda de 19,7%.

Continue lendo

Dólar mais caro reduz volume de compras dos brasileiros, no exterior

Embora existam outros fatores, a cotação do dólar foi a principal causa da redução nas despesas dos viajantes. Em 2019, a moeda norte-americana terminou com alta de 3,5%  em um ano de fortes turbulências no mercado de câmbio, que chegou a registrar uma desvalorização do real de quase 10%. No fim de novembro, a cotação do dólar atingiu recorde histórico, fechando a R$ 4,24.

Continue lendo