Metroviário de São Paulo: 45 minutos do segundo tempo

Aos 45 minutos do segundo tempo os metroviários de São Paulo tiveram que suspender a greve

Por João Guilherme Vargas Netto – Na longa negociação com o Metrô e os gestores estaduais (a data-base é em abril) os trabalhadores reivindicavam, pura e simplesmente, a manutenção das cláusulas vigentes (a ultratividade) e o respeito aos direitos, inclusive sindicais.

Continue lendo