Tailândia retira primeiros meninos de caverna

Arquivado em: Ásia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 8 de julho de 2018 as 13:47, por: CdB

Dos resgatados, pelo menos dois teriam sido levados em um helicóptero com destino ao hospital geral de Chiang Rai, capital da província de mesmo nome, onde a caverna está localizada

Por Redação, com EFE – de Bancoc:

Pelo menos seis meninos foram resgatados da caverna no norte da Tailândia, onde um grupo de 13 pessoas, formado por 12 menores e um adulto, permanece preso há duas semanas, informaram fontes oficiais citadas por veículos de imprensa locais.

Água continua a ser bombeada para fora das cavernas

Entre os seis, quatro deles teriam saído da gruta e dois teriam chegado à chamada “caverna 3”. Nesse local, as equipes de socorro instalaram um acampamento provisório, no qual consideram que não correm mais perigo, diz o jornal Spring News.

São os primeiros menores que deixam a caverna, de acordo com o plano anunciado nesta manhã sobre a operação de salvamento, que prevê acompanhar e tirar uma a uma as 13 pessoas que permaneciam presas.

Dos resgatados, pelo menos dois teriam sido levados em um helicóptero com destino ao hospital geral de Chiang Rai, capital da província de mesmo nome, onde a caverna está localizada.

Uma ambulância também já deixou o monte onde fica a entrada da gruta.

Os outros seis meninos e o monitor continuam na gruta à espera do resgate pela equipe de mergulhadores encarregada da missão de salvamento. O trabalho pode durar dois ou três dias e é considerado pelos especialistas de alto risco.

As autoridades locais disseram, em entrevista coletiva, que não dariam mais informações até novo aviso.

A equipe é composta por 18 mergulhadores, 13 estrangeiros e cinco membros de elite da Marinha tailandesa. Eles enfrentam quatro quilômetros de estreitas passagens subterrâneas, com inundações parciais e desníveis em um terreno rochoso.

As chuvas eram uma das principais preocupações das autoridades tailandesas. A água filtrada pelo monte pode voltar a inundar as galerias e anular a drenagem feita desde que, na segunda-feira (2), foram achados com vida os 12 estudantes e o treinador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *