Taxa de juros nos EUA tende a seguir em alta, avaliam analistas

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 5 de outubro de 2018 as 17:04, por: CdB

Os preços dos contratos vinculados à taxa de juros do Fed, negociados na Chicago Board of Trade do CME Group, indicaram uma chance de 80% de uma quarta alta dos juros pelo Fed em 2018, e grandes chances de mais duas altas até setembro de 2019.

 

Por Redação, com Reuters – de Washington

 

Os operadores de juros futuros ainda apostavam nesta sexta-feira que o Federal Reserve vai aumentar a taxa de juros gradualmente este ano e no próximo, após um relatório do governo dos Estados Unidos mostrar que os empregadores aumentaram a oferta de vagas de trabalho em um nível menor do que esperado, mas continuaram a aumentar os salários.

O mercado norte-americano aguarda uma alta nas taxas de juros do Federal Reserve
O mercado norte-americano aguarda uma alta nas taxas de juros do Federal Reserve

Os preços dos contratos vinculados à taxa de juros do Fed, negociados na Chicago Board of Trade do CME Group, indicaram uma chance de 80% de uma quarta alta dos juros pelo Fed em 2018, e grandes chances de mais duas altas até setembro de 2019. Isso mostra pouca alteração em comparação a antes do relatório.

— O quadro geral é que o mercado de trabalho permanece sólido e robusto — disse Matt Luzzetti, economista sênior do Deutsche Bank. O relatório de empregos também mostrou que a taxa de desemprego caiu para uma mínima de 49 anos de 3,7%.

Ano que vem

O resultado: o banco central dos EUA deve continuar elevando os juros lentamente, como aconteceu durante todo o ano. O chairman do Fed, Jerome Powell, disse nesta semana que a perspectiva econômica é “notavelmente positiva”.

Mas os operadores ainda não esperam que o Fed vá tão longe quanto as próprias autoridades do Fed. As previsões divulgadas na semana passada apontam para três ou talvez até quatro altas no próximo ano.

A criação de vagas de trabalho nos Estados Unidos desacelerou com força em setembro provavelmente porque o furacão Florence prejudicou os setores de restaurantes e varejo, mas a taxa de desemprego caiu para perto da mínima de 49 anos de 3,7%, indicando um aperto adicional nas condições do mercado de trabalho.