Taxistas bloqueiam artéria central de Madri em protesto contra Uber

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 28 de janeiro de 2019 as 11:12, por: CdB

Os motoristas de táxi começaram as manifestações na semana passada, reclamando que os aplicativos de transporte frequentemente oferecem preços menores que os taxistas.

Por Redação, com Reuters – de Madri/São Francisco

Centenas de táxis bloquearam uma artéria central de Madri durante a hora do rush nesta segunda-feira, no maior protesto realizado até agora pela categoria, que quer imposição de legislação mais rígida contra a norte-americana Uber e outros serviços de transporte urbano por aplicativo.

Centenas de táxis bloquearam uma artéria central de Madri durante a hora do rush nesta segunda-feira

Um batalhão de choque da polícia apoiado por uma frota de guinchos levou várias horas para liberar a pista dos veículos. Novas interrupções do tráfego ainda podem ocorrer pois os protestos continuam.

Os motoristas de táxi começaram as manifestações na semana passada, reclamando que os aplicativos de transporte frequentemente oferecem preços menores que os taxistas.

Em setembro, o governo espanhol deu às companhias de aplicativos de transporte quatro anos para cumprirem com regularização de suas operações e concedeu a elas apenas uma nova licença para cada 30 licenças de táxi concedidas. Mas os taxistas querem regras mais exigentes.

– Eles (aplicativos) não podem fazer os mesmos serviços que os táxis. Eles não podem pegar passageiros nas ruas. Isso é ilegal, mas nada acontece – disse o taxista Juan Mateos.

Taxistas de Barcelona encerraram protesto na semana passada, depois que autoridades regionais propuseram aos aplicativos regra que as obriga a pegarem passageiros apenas quando a viagem é agendada com algum tempo de antecedência e as impedindo de pegar passageiros nas ruas.

As negociações em Barcelona continuam e algumas empresas de aplicativo afirmam que serão forçadas a deixar Barcelona se a proposta entrar em vigor.

WhatsApp, Instagram e Facebook Messenger

O presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, planeja unificar as infraestruturas de troca de mensagens subjacentes aos serviços WhatsApp, Instagram e Facebook Messenger e incorporar a criptografia de ponta a ponta a esses aplicativos, noticiou o New York Times (NYT) na sexta-feira.

Os três serviços, no entanto, continuariam com seus respectivos aplicativos, segundo a reportagem, que citou quatro pessoas envolvidas no processo.

O Facebook disse que trabalha para implementar em mais produtos a criptografia de ponta a ponta, que protege as mensagens de serem vistas por outros além dos participantes de uma conversa, e que estuda maneiras de tornar mais fácil aos usuários conectar-se de modo integrado a diferentes redes.

– Há muita discussão e debate à medida que começamos o longo processo de elaborar todos os detalhes de como isso vai funcionar – disse um porta-voz.

Depois das mudanças, um usuário do Facebook, por exemplo, estaria apto a enviar uma mensagem criptografada para alguém que possui apenas uma conta no WhatsApp, de acordo com a reportagem do NYT.

Integrar os serviços de mensagem pode tornar mais difícil para reguladores antitruste obrigar a redução do Facebook por meio da reversão de aquisições como as do WhatsApp e Instagram, avaliou Sam Weinstein, professor da Escola de Direito Benjamin N. Cardozo.

– Se o Facebook está preocupado com isso, então uma maneira de se defender seria integrar esses serviços – disse Weinstein.

O professor, contudo, disse que determinar um desmembramento do Facebook seria um “remédio extremo” aplicado pelos reguladores, particularmente nos Estados Unidos, de modo que as preocupações com medidas antitruste podem não ter sido um dos fatores por trás da integração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *