Temer e Moreira Franco são presos na Lava Jato e apelam ao Supremo

Arquivado em: Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 21 de março de 2019 as 11:43, por: CdB

A PF tentava rastrear e confirmar a localização de Michel Temer desde quarta-feira , sem ter sucesso.

Por Redação, com ABr – de São Palo

O ex-presidente de facto Michel Temer foi preso na manhã desta quinta-feira, em São Paulo. A informação foi confirmada por fontes da Polícia Federal (PF). O golpista foi levado para o Aeroporto Internacional de Guarulhos, de onde seguiu para o Rio de Janeiro. Tanto Temer quanto o ex-ministro Moreira Franco foram transferidos para a sede da PF, no Centro da Cidade. Os advogados de ambos vão apelar ao relator da operação no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Edson Fachin, para que sejam liberados.

Michel Temer e seu ex-ministro Moreira Franco estão presos preventivamente, sem data para liberação pela Polícia Federal
Michel Temer e seu ex-ministro Moreira Franco estão presos preventivamente, sem data para liberação pela Polícia Federal

No Rio, fará exame de corpo delito e será encaminhado para a sede da instituição.

A prisão foi determinada pelo juiz federal Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, responsável pelas ações de desdobramento da Operação Lava Jato.

O ex-ministro de Minas e Energia da administração emedebista, Moreira Franco também é alvo dos agentes nesta quinta-feira e já encontra preso, na sede da Polícia Federal, no Centro do Rio.

Filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), Temer assumiu a Presidência da República em maio de 2016, depois do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Ao longo de sua trajetória política, Temer foi presidente da Câmara dos Deputados, secretário da Segurança Pública e procurador-geral do estado de São Paulo.

Partido

O MDB lamenta a postura açodada da Justiça à revelia do andamento de um inquérito em que foi demonstrado que não há irregularidade por parte de Temer e do ex-ministro Moreira Franco. O MDB espera que a Justiça restabeleça as liberdades individuais, a presunção de inocência, o direito ao contraditório e o direito de defesa.

Ex-ministro Moreira Franco

O ex-ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, foi preso pela Operação Lava Jato nesta quinta-feira, afirmou à agência inglesa de notícias Reuters uma fonte do Ministério Público Federal.

Na Câmara, a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) protestou contra a prisão do emedebista.

“Poderíamos comemorar muito a prisão de Temer depois de tudo que ele fez contra a ex-presidenta Dilma Rousseff, mulher que foi derrubada sem provas num golpe muito bem orquestrado, mas nós defendemos o devido processo legal. Não há espaço para dois pesos, duas medidas. Nós, no Parlamento, fomos chamados há 2 anos a votar a autorização da investigação sobre ele e, assim, o processo ocorresse com trâmite correto. Desta forma, a prisão de hoje de Temer poderia ter sido após uma condenação com provas e julgamento justo. É claro que a sociedade merece uma resposta sobre essa prisão, que ocorre num momento muito conturbado, confuso, com crise política, em meio à Reforma da Previdência. Nos estranha o momento em que essas prisões são efetuadas”, escreveu, em uma rede social.

Atualizado às 12h34 desta quinta-feira, 21 de março de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *