Tensão aumenta em torno do dia 24 com presidente do PT elevando tom

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 16 de janeiro de 2018 as 16:19, por: CdB

Presidente nacional do PT, senador Gleisi Hoffmann fala em ‘matar’ gente se TRF-IV decretar prisão de Lula. Em seguida, volta atrás e diz que foi apenas ‘força de expressão’.

 

Por Redação – de Brasília

 

Com o aumento da mobilização nacional em torno do dia 24 deste mês, dia do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF-IV), os ânimos ficam mais acirrados junto ao grupo que critica a “perseguição judicial” ao líder petista.

A senadora petista Gleisi Hoffmann (PR) foi uma das parlamentares que ocupou a Mesa Diretora do Senado
A senadora petista Gleisi Hoffmann (PR) condena a perseguição a Lula

Nesta manhã, em entrevista a um site de notícias identificado com a direita, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), chegou a afirmar que, “para prender o Lula, vai ter que prender muita gente, mas, mais do que isso, vai ter que matar gente. Aí, vai ter que matar”.

No ‘play’

Em seguida, diante da repercussão negativa do pronunciamento, Hoffmann explicou-se:

“Na minha fala ao site Poder 360, usei uma força de expressão p/ dizer o quanto Lula é amado pelo povo brasileiro. É o maior líder popular do país e está sendo vítima de injustiças e violências q atingem quem o admira. Como ñ se revoltar c/condenação s/ provas? Política e injusta”, desdisse Gleisi, no Twitter.

Ainda na entrevista, a líder petista afirmou que, caso a sentença do juiz federal Sérgio Moro — que condena Lula a 9 anos e meio de prisão no caso do tríplex do Guarujá — seja ratificada no TRF-IV, o fato confirmará que os desembargadores “desceram para o ‘play’ da política (…) No ‘play’ da política nós vamos jogar (…) E vamos jogar pesado”, avisou.

Planos do PT

A possível condenação de Lula, porém, não o afastara da disputa pela Presidência da República, na eleição prevista para Outubro deste ano.

— A candidatura vai ser decidida na Justiça Eleitoral — ponderou Hoffmann.

Para a senadora paranaense, a única alternativa do PT é a candidatura de Lula.

— Essa condenação não tem nada a ver com a candidatura. A candidatura do Lula vai ser decidida na Justiça Eleitoral. Porque a candidatura só se resolve na Justiça Eleitoral. É em outra esfera. Não tem nada que nos impeça de registrar Lula como candidato no dia 15 de agosto — acrescentou Hoffmann.

A senadora disse, ainda, que não pretende disputar a reeleição; mas que deve se lançar candidata à Câmara dos Deputados. Nos planos do partido estão a reeleição dos cinco governadores do Estados já administrados pela legenda. Ela, porém, não confirmou se a ex-presidente Dilma Rousseff irá disputar algum cargo eletivo.

Apoio à esquerda

O mesmo tom acirrado, contra a condenação de Lula ouve-se também fora das hostes petistas. A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-MA) também voltou a defender, nesta terça-feira, o direito de o ex-presidente Lula disputar a reeleição ao Palácio do Planalto.

“Impedir Lula de disputar o pleito é ‘uma farsa’ repleta de ilegalidades, que em outro país poderia levar a uma repreensão do juiz responsável. Não deixar Lula ser candidato abre uma caixa de pandora na sociedade brasileira”, escreveu a parlamentar em sua conta no Twitter.

Condenado sem provas a nove nove anos e seis meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro, o ex-presidente Lula é líder absoluto em todas as pesquisas de intenções de voto. Também foi apontado como o melhor presidente da história do País, de acordo com levantamento CNI/Ibope, divulgado em setembro do ano passado.