Tentativa de furto em oleoduto causa poluição na Baia de Guanabara

Arquivado em: Destaque do Dia, Energia, Meio Ambiente, Natureza, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 10 de dezembro de 2018 as 12:32, por: CdB

Metade do óleo derramado foi recolhido pelas equipes de emergência da Transpetro acionadas logo após o incidente, segundo a empresa.

 

Por Redação, com Reuters – do Rio de Janeiro

 

Um volume de cerca de 60 mil litros de óleo vazaram na Baía de Guanabara neste o fim de semana, devido à tentativa de furto ocorrida em um duto da Transpetro, na Baixada Fluminense, no Estado do Rio de Janeiro, informou a empresa subsidiária da Petrobras.

A Baía de Guanabara é, frequentemente, poluída com vazamento de óleo da Petrobras
A Baía de Guanabara é, frequentemente, poluída com vazamento de óleo da Petrobras

Metade do óleo derramado foi recolhido pelas equipes de emergência da Transpetro acionadas logo após o incidente, segundo a empresa.

A tentativa de furto, de acordo com a Transpetro, ocorreu em um duto localizado no município de Magé, e um rio da região também foi atingido pelo vazamento.

A Transpetro informou que “ao detectar a ação criminosa, imediatamente interrompeu as operações do duto, acionou equipes de emergência e conteve o vazamento do oleoduto”.

Grandes proporções

A Petrobras e a Transpetro têm sido alvos frequentes de ações criminosas de furto de óleo e derivados em suas instalações.

Pescadores que trabalham na Baía de Guanabara publicaram imagens do vazamento nas redes sociais mostrando a camada de óleo que tomou conta de parte do local.

— Foi um vazamento de grandes proporções, com impacto em manguezais, e a mancha já está chegando à Ilha de Paquetá — disse a jornalistas o analista ambiental Maurício Muniz, do Instituto Chico Mendes.

Em 2000, um vazamento de óleo na Baía de Guanabara provocado pelo rompimento de um duto da Refinaria Duque de Caxias (Reduc) derramou cerca de 1,3 milhão de litros de óleo no local e afetou fauna e flora da região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *