Thiago Silva supera Neymar e é eleito o melhor jogador estrangeiro na França

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 27 de dezembro de 2018 as 12:52, por: CdB

Thiago Silva, de 34 anos, sucede assim o atacante uruguaio Edinson Cavani, do Paris Saint-Germain, que ganhou o prêmio em 2016 e 2017.

Por Redação, com EFE – de Paris/Madri

O zagueiro Thiago Silva, do Paris Saint-Germain, foi eleito o melhor jogador estrangeiro em atividade na França em 2018 pela revista France Football, superando Neymar, que foi prejudicado pela lesão sofrida no quinto metatarso do pé direito no primeiro semestre do ano.

O zagueiro Thiago Silva, do Paris Saint-Germain

Thiago Silva, de 34 anos, sucede assim o atacante uruguaio Edinson Cavani, do Paris Saint-Germain, que ganhou o prêmio em 2016 e 2017.

A revista afirmou que Thiago Silva, que disputa o Campeonato Francês desde 2012, recuperou o seu melhor nível e conseguiu brilhar nos últimos nove meses.

– O perfeccionista exige mais do que nunca de seu corpo. Quer que todo mundo saiba que ele está de volta. Controla o seu território como quem não tolera nenhuma invasão – disse sobre o jogador a revista que organiza a premiação da Bola de Ouro.

Para a France Football, embora Neymar seja “sem dúvida o jogador mais forte e mais mágico da primeira divisão”, não merece a medalha de ouro de 2018 pela atuação durante o primeiro semestre.

O Neymar desse ano, segundo a publicação, é um homem ausente, “lesionado durante mais de três meses” e que se mostrou “incapaz de construir uma relação com Paris e o Parc des Princes”.

A France Football, que na terça-feira elegeu Kylian Mbappé como o melhor francês em 2018, também considera o meia Tanguy Ndombele, do Olympique de Marselha, a revelação do campeonato e o presidente do Montpellier, Laurent Nicollin, o melhor dirigente.

O francês Antoine Griezmann, atacante do Atlético de Madrid, levou um prêmio curioso, o “prêmio laranja”, que reconhece as boas relações com a imprensa.

Messi

O atacante Lionel Messi, do Barcelona, declarou em entrevista ao jornal “Marca” que a rivalidade com Cristiano Ronaldo foi “muito saudável” e que gostaria de voltar a jogar ao lado de Neymar, embora considere muito difícil que aconteça.

– A rivalidade com Cristiano foi muito saudável e foi boa para o espectador – comentou Messi, ao acrescentar que o português “deixaria saudades em qualquer equipe que tivesse jogado e fosse embora”, em alusão à saída de CR7 do Real Madrid para a Juventus.

Ao mencionar Neymar, do qual foi companheiro de equipe de 2013 a 2017, Messi afirmou que o retorno do brasileiro seria bom para o time catalão, mas que o Paris Saint-Germain não deverá liberar o jogador para nenhum outro clube.

– Adoraríamos que voltasse pelo que ele significa, tanto como jogador como para o vestiário. Somos amigos, vivemos coisas muito bonitas, outras nem tanto. Acho muito difícil que saia de Paris. O Paris Saint-Germain não vai deixar que levem o Neymar – opinou.

Ao falar sobre a Bola de Ouro deste ano, conquistada pelo meia Luka Modric, do Real Madrid, o atacante argentino comentou que “sabia que nesta temporada não tinha possibilidade de ganhar”: “Sabia que eu não estaria lá”, confessou.

Outro assunto abordado na entrevista foi o sistema de árbitro de vídeo, que começou a ser implantado nesta temporada no Campeonato Espanhol.

– No início eu era reticente. Mas hoje em dia acredito que seja algo bom para o Espanhol e o futebol. Teve uma aceitação espetacular, tanto para os torcedores como para os jogadores. Acho muito bom – disse Messi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *