Tiroteio deixa mortos em praça da Zona Sul do Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 8 de março de 2018 as 10:50, por: CdB

De acordo com as primeiras informações, dois homens chegaram de carro e dispararam vários tiros contra pessoas que estavam no entorno da praça. Houve pânico e muita correria

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

Um tiroteio deixou dois mortos e um ferido na Praça São Salvador, em Laranjeiras, na Zona Sul do Rio de Janeiro, na noite anterior. No momento dos disparos, o local, que concentra vários bares, estava bastante movimentado.

Tiroteio em Laranjeiras com dois mortos entre as ruas São Salvador com Senador Correia

De acordo com as primeiras informações, dois homens chegaram de carro e dispararam vários tiros contra pessoas que estavam no entorno da praça. Houve pânico e muita correria. Um homem que estava ao lado de um bar foi baleado na cabeça e morreu no local. Outro homem levou um tiro nas costas e foi atropelado pelo veículo dirigido pelos atiradores enquanto tentava fugir. Os dois mortos não foram identificados.

O taxista Alexandre Ramos, de 53 anos, passava pelo local no momento do tiroteio e foi baleado na barriga. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado para o Hospital Miguel Couto, no Leblon, também na Zona Sul. Ainda até o momento não houve informações sobre o estado de saúde dele.

Os criminosos fugiram após o tiroteio. O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios da capital.

Intervenção na Baixada

O Ministério Público Federal (MPF) em São João de Meriti instaurou um inquérito civil público para acompanhar os desdobramentos; que a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro terá na Baixada Fluminense. A portaria que instaurou o inquérito civil público é assinada pelo procurador da República Julio José Araujo Junior.

Segundo o MPF, informações foram solicitadas ao comando da intervenção, e uma audiência pública foi marcada para 20 de março, às 10h, para ouvir demandas da população “e garantir a prestação de informações pelas autoridades interventoras sobre os desdobramentos que a intervenção federal terá na Baixada”.

Relatórios das operações

No ofício enviado ao comando da intervenção, consta ainda um pedido de apresentação de relatórios das operações de Garantia da Lei e da Ordem realizadas na Baixada Fluminense desde julho de 2017. O MPF pede ainda que sejam informados “a relação de ações; que serão adotadas na região e o respectivo plano; caso exista, e as medidas que serão implementadas para promover a transparência e o diálogo com a população de forma permanente”.

A intervenção federal na segurança do Rio foi decretada em fevereiro pelo presidente de facto Michel Temer; mas as operações de Garantia da Lei e da Ordem já integravam Forças Armadas e órgãos de segurança pública federais e estaduais desde julho do ano passado. Com a intervenção, o comando da segurança no estado saiu do governador Luiz Fernando Pezão e passou para o interventor federal; o general Walter Braga Netto, que nomeou um novo secretário estadual de Segurança Pública, o general Richard Nunes.

Em nota, o Gabinete de Intervenção Federal informou que conta com um canal direto de atendimento; para o caso de sugestões e denúncias; que podem ser feitas pelo e-mail[email protected] .

O comunicado destaca que o general Braga Netto enfatiza a “transparência e a legalidade das ações” e “acredita na contribuição das instituições, da população e da imprensa”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *