Tóquio diz que adiamento dos Jogos custará US$ 2,8 bilhões aos organizadores

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 4 de dezembro de 2020 as 11:18, por: CdB

O adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio para o ano que vem por causa da pandemia de coronavírus custará aos organizadores japoneses mais 294 bilhões de ienes (US$ 2,8 bilhões), afirmou o comitê organizador nesta sexta-feira.

Por Redação, com Reuters – de Tóquio

O adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio para o ano que vem por causa da pandemia de coronavírus custará aos organizadores japoneses mais 294 bilhões de ienes (US$ 2,8 bilhões), afirmou o comitê organizador nesta sexta-feira.

Ciclista passa pelos anéis olímpicos em Tóquio
Ciclista passa pelos anéis olímpicos em Tóquio

Os organizadores estão avaliando o impacto financeiro do adiamento desde que o governo japonês e o Comitê Olímpico Internacional (COI) decidiram, em março, adiar os Jogos até 2021.

O governo metropolitano de Tóquio deve pagar 120 bilhões de ienes, o comitê organizador 103 bilhões de ienes e o governo japonês 71 bilhões de ienes, disseram os organizadores.

O COI informou anteriormente que contribuirá com US$ 650 milhões para cobrir os custos do adiamento. Este valor é separado dos custos anunciados pelos organizadores japoneses nesta sexta-feira.

– Os custos de Tóquio são os custos de Tóquio – disse o CEO da Tóquio 2020, Toshiro Muto. “A (atribuição) de Tóquio 2020 é uma receita que podemos garantir”, acrescentou.

– Dentro dessa receita, temos patrocínio adicional que solicitamos dos parceiros e também temos seguro.

Fundo de contingência

Tóquio 2020 também está recorrendo a um fundo de contingência de 27 bilhões de ienes detalhado no orçamento do ano passado para cobrir os custos.

O último orçamento oficial divulgado pelo comitê organizador em dezembro de 2019, meses antes do adiamento dos Jogos, foi de US$ 12,6 bilhões.

Anéis Olímpicos voltam à Baía de Tóquio

O monumento dos Anéis Olímpicos foi reinstalado na Baía de Tóquio na terça-feira, depois de ser retirado em agosto para passar por uma manutenção, agora que os organizadores estão acelerando os preparativos para os Jogos adiados para o ano que vem.

A volta do monumento, que tem 15,3 metros de altura e 32,6 metros de comprimento e foi instalado inicialmente em janeiro, deveria enviar a mensagem de que a Olimpíada está chegando, disse o diretor de planejamento do governo metropolitano de Tóquio, Atsushi Yanashimizu, à agência inglesa de notícias Reuters.

– Já que o símbolo está aqui, queremos que os moradores de Tóquio, e também internacionalmente, sintam que os Jogos estão chegando em breve – disse Yanashimizu.

– Também queremos que todos sintam que com certeza teremos os Jogos de Tóquio 2020 no ano que vem.

O monumento, que foi aceso no final desta terça-feira (horário local), continuará próximo da Ponte Arco-Íris até o final da Olimpíada, em agosto, e depois será substituído pelo logotipo da Paralimpíada.

A Olimpíada foi adiada em um ano em março por causa da pandemia do novo coronavírus, e os organizadores ainda não disseram quanto o adiamento custará, mas na segunda-feira, a Kyodo News noticiou que os organizadores estimaram que as medidas para o combate à covid-19 na Olimpíada ficarão em torno de 100 bilhões de ienes (US$ 960 milhões).