Tóquio 2020: operário morre de possível insolação

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 9 de agosto de 2019 as 13:50, por: CdB

 

As temperaturas elevadas mataram pelo menos 57 pessoas em todo o Japão desde o final de julho, um ano antes de Tóquio sediar os Jogos de 2020.

Por Redação, com Reuters – de Tóquio/Lima

Um operário que trabalhava do lado de fora de uma obra da Olimpíada de Tóquio morreu na quinta-feira depois de ser encontrado inconsciente, disseram organizadores nesta sexta-feira, e a mídia disse que se suspeita de uma insolação, já que a capital japonesa enfrenta uma onda letal de calor.

Mulher segura guarda-sol em dia de calor em Tóquio

As temperaturas elevadas mataram pelo menos 57 pessoas em todo o Japão desde o final de julho, um ano antes de Tóquio sediar os Jogos de 2020, ressaltando a possível ameaça à saúde de atletas e torcedores, um dos maiores desafios dos planejadores olímpicos.

O operário de 50 anos que estava estendendo cabos do lado de fora do centro de exposições Big Sight, que está sendo reformado para servir como centro de mídia da Tóquio 2020, foi encontrado desmaiado no chão na tarde de quinta-feira e levado a um hospital, onde sua morte foi confirmada, disseram os organizadores da Tóquio 2020 em um comunicado.

“Embora a esta altura a causa precisa de sua morte continue desconhecida, a polícia local confirmou que não é necessário realizar uma investigação criminal”, disseram os organizadores à agência inglesa de notícias Reuters por email.

Calor

Segundo citação da emissora nacional NHK, a polícia disse que as condições no canteiro de obras indicam que uma insolação pode ser a causa, mas a própria polícia não quis confirmar o relato à agência Reuters. As temperaturas chegaram a 35,5 graus Celsius em Tóquio na quinta-feira.

As temperaturas da cidade têm ficado acima dos 31oC desde 24 de julho, exatamente um ano antes do início dos Jogos, e em agosto o calor está alcançando médias diárias de 34,8oC.

Além dos 57 mortos entre 29 de julho e 4 de agosto, 18.347 pessoas foram hospitalizadas.

Judô brasileiro

No primeiro dia de disputas do judô nos Jogos Pan-americanos de Lima o judô brasileiro trouxe duas medalhas douradas para casa. Outra modalidade na qual o Brasil ficou no lugar mais alto do pódio foi no atletismo, nos 400 metros com barreira.

Judô de ouro

Uma modalidade na qual o Brasil tem tradição de conquistar medalhas em pan-americanos é o judô. E não está sendo diferente em Lima. No primeiro dia de disputas da modalidade nesta edição do evento, a equipe brasileira conseguiu duas medalhas douradas.

A primeira conquista do dia veio com Renan Torres na categoria até 60 quilos. Estreante em Pans, o jovem de 20 anos venceu na decisão o equatoriano Lenin Preciado, que conquistou o título em Toronto em 2015.

Logo depois Larissa Pimenta conseguiu o seu ouro ao derrotar na decisão a mexicana Luz Olvera na categoria até 52 quilos.

Conquista no atletismo

O Brasil continua colecionando ouros foi no atletismo. Hoje a estrela foi Alisson Brendom, que venceu a prova dos 400 metros com barreiras. Em uma prova emocionante o brasileiro conseguiu alcançar a liderança apenas no final, ao saltar o último obstáculo. Ele completou a corrida com o tempo de 48s45.

Medalhas no remo

No primeiro dia de finais das provas de remo, o Brasil conquistou duas medalhas de bronze. No double Skiff, Uncas Tales e Lucas Verthein completaram os 2 mil metros da prova em 6min29s72. Eles ficaram atrás da dupla da Argentina, que alcançou o tempo de 6min25s16, e da de Cuba, com 6min27s43.

Já no quatro sem, Alef Fontoura, Fábio José Moreira, Gabriel Moraes e Willian Giaretton conseguiram o tempo de 6min10s67, atrás da Argentina (6min07s02) e de Cuba (6min09s53).

Bronze na luta livre

Outro terceiro lugar obtido por atleta brasileiro veio na categoria estilo livre da luta. Giulia Penalber conseguiu o bronze no feminino até 57 quilos após derrotar Paula Ramirez, da Nicaraguá.

Tropeço no vôlei

O ponto baixo do dia foi o tropeço da seleção feminina de vôlei diante da Argentina. O Brasil foi derrotado por 3 sets a 0. Como venceu Porto Rico na primeira rodada, agora precisa derrotar os EUA na próxima sexta para alcançar as semifinais.

Mais medalhas na natação

No final da noite de ontem, início do dia de quinta-feira, o Brasil garantiu mais 6 medalhas na natação. O destaque aconteceu na prova masculina dos 200m livre, onde Fernando Scheffer foi ouro, com o tempo de 1min46s68, e Breno Correia foi prata, com o tempo de 1min47s47.

Outra prata veio no revezamento 4×100 misto. Os EUA completaram a prova em 3min24s84 e ficaram com o ouro. Já Larissa Oliveira, Etiene Medeiros, Marcelo Chierighini e Breno Correia conseguiram a marca de 3min25s97 para levarem a prata.

Além disso, conquistamos 3 bronzes: Vinícius Lanza (100m borboleta), Leonardo de Deus (200m costas) e Larissa Oliveira (200m livre).

O Brasil ainda conquistou o ouro com Marcelo Chierighini, nos 100m livre, Larissa Oliveira ficou com o bronze nos 100m livre e  Etiene Medeiros levou o bronze nos 100m costas.

Basquete feminino nas semifinais

O basquete feminino conquistou uma vaga nas semifinais como primeira do grupo após vencer o Paraguai por 81 a 37.

Classificação olímpica

Na vela, Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, da classe 470, garantiram sua classificação para Tóquio 2020 como uma das 6 melhores duplas que ainda não tinham a vaga olímpica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *