Torcedor ferido durante briga continua em estado grave no Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 4 de abril de 2019 as 10:05, por: CdB

Vários torcedores foram presos e levados ao Juizado Especial Criminal (Jecrim) depois da confusão. Após o jogo, que o Peñarol venceu por 1 a 0, já durante a madrugada, houve mais brigas nas ruas de Copacabana.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

O torcedor Roberto Almeida, ferido em uma briga na quarta-feira entre as torcidas do Flamengo e do Peñarol, no Rio de Janeiro, continua internado em estado grave no Hospital Municipal Miguel Couto, na Zona Sul da cidade. Almeida foi hospitalizado com um ferimento na cabeça, depois de ser agredido em Copacabana.

Torcedor ferido em briga no Rio continua em estado grave

A briga aconteceu na tarde de quarta-feira quando flamenguistas, que vieram em excursão de Vitória, se confrontaram com torcedores do Peñarol, do Uruguai, no calçadão de Copacabana, antes do jogo entre as duas equipes pela Copa Libertadores da América, marcado para as 21h30, no Estádio do Maracanã.

Durante a briga, foram trocados socos, pontapés, garrafadas e cadeiradas. Em um determinado momento, um torcedor do Peñarol foi agredido por vários flamenguistas, à frente de um policial militar, que nada fez para conter a agressão.

A confusão aconteceu antes que os torcedores uruguaios fossem escoltados pela Polícia Militar até o Maracanã, o que estava previsto para ocorrer às 17h30.

Vários torcedores foram presos e levados ao Juizado Especial Criminal (Jecrim) depois da confusão. Após o jogo, que o Peñarol venceu por 1 a 0, já durante a madrugada, houve mais brigas nas ruas de Copacabana.

Torcedores do Penãrol são detidos

Dezenas de torcedores do clube uruguaio Peñarol, que enfrentou o Clube de Regatas do Flamengo na noite de quarta-feira, no Estádio do Maracanã pela Taça Libertadores da América, foram detidos na orla da praia do Leme, na Zona Sul do Rio, depois de atacarem um ônibus de torcedores do Flamengo que tinha chegado do Espírito Santo e passavam pela praia.

Os torcedores do Peñarol, que estavam em dois ônibus do clube, foram detidos por policiais militares do Batalhão Especial de Policiamento em Estádios (Bepe) e ficaram sentados no calçadão. No tumulto, um torcedor uruguaio foi cercado por flamengistas e foi agredido com chutes, pontapés e pedaços de pau.  Um torcedor rubro-negro também foi ferido.

Dois policiais militares que estavam na hora da confusão assistiram o torcedor uruguaio ser atacado e não tentaram afastar os agressores. Um vídeo mostrou as cenas de ataque ao torcedor uruguaio e a atitude dos dois policiais militares.

Como é de costume, a torcida uruguaia seria escoltada por equipes da Polícia Militar até o Estádio do Maracanã. O comboio estava marcado para seguir para o Maracanã às 17h30, mas a confusão ocorreu antes.

PM

Em nota, a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informa que torcedores do clube do Peñarol do Uruguai e do Flamengo se envolveram em uma confusão no bairro do Leme, Zona Sul da cidade, na tarde. “Equipes do 19º batalhão da Polícia Militar (Copacabana) e do Batalhão Especial de Policiamento em Estádios (Bepe) foram acionadas para conter os envolvidos. Cerca de 100 torcedores uruguaios foram detidos”.

Quanto ao vídeo do espancamento do torcedor uruguaio, a PM informou que as imagens serão analisadas internamente e os policiais serão ouvidos em depoimento e ficarão presos administrativamente.

Na página do Flamengo, o clube pediu que a torcida evite atos de selvageria e evite provocações no estádio. “Diante dos lamentáveis acontecimentos protagonizados pelos torcedores do Peñarol na zona sul do Rio, o Clube de Regatas do Flamengo faz um apelo para que a torcida rubro-negra não aceite provocações no estádio. Vamos fazer um grande espetáculo dentro e fora de campo!”

Outro caso de selvageria

O torcedor do Flamengo que agrediu um idoso, que estava com a camisa do Fluminense, na saída do clássico entre as duas equipes no Maracanã no dia 24 de março, está proibido de comparecer às proximidades do estádio, bem como de qualquer outro local em que se realizem eventos esportivos, pelo prazo inicial de 12 meses.

A decisão é do juiz Bruno Ruliere, do Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos do Rio, que recebeu nesta quarta-feira a denúncia do Ministério Público contra Matheus Morbeck Pedroso dos Santos Galvão, de 18 anos.

De acordo com a denúncia do MP, o agressor desferiu um soco abaixo do olho esquerdo de Marcos Barreto Braulio de Arruda, de 64 anos, portador de necessidades especiais, que caiu no chão. O vídeo que registra a agressão circulou nas redes sociais.

Matheus vai responder à ação penal por lesão corporal, com agravante de motivo fútil e contra pessoa acima de 60 anos, e também por promoção de tumulto, prática e incitação à violência contra torcedores.

– Considerando os fatos narrados, bem como os elementos de informação colhidos no inquérito policial, afigura-se adequada e necessária a aplicação de medidas cautelares – escreveu o juiz Bruno Ruliere.

Nos dias de jogos do Flamengo realizados no Estado do Rio de Janeiro, Matheus deverá apresentar-se em uma das Delegacias de Polícia indicadas pelo juiz na decisão. Ele terá de chegar ao local meia hora antes do início do jogo e lá permanecer até meia hora após o final da partida, obtendo comprovante de comparecimento.

O descumprimento da medida cautelar importará em decretação de prisão preventiva, com base no Artigo 312, parágrafo único do Código de Processo Penal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *