Torcedores do Barcelona imploram por permanência de Messi

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 26 de agosto de 2020 as 11:23, por: CdB

Torcedores furiosos do Barcelona fizeram um protesto pela renúncia do presidente do clube, Josep Maria Bartomeu, depois que o capitão Lionel Messi anunciou na terça-feira que gostaria de deixar o time catalão.

Por Redação, com Reuters – de Barcelona/Londres

Torcedores furiosos do Barcelona fizeram um protesto pela renúncia do presidente do clube, Josep Maria Bartomeu, depois que o capitão Lionel Messi anunciou na terça-feira que gostaria de deixar o time catalão.

Torcedores do Barcelona se reúnem no exterior do estádio Camp Nou
Torcedores do Barcelona se reúnem no exterior do estádio Camp Nou

“Nós amamos você, Messi, fique, Messi, fique!” e “Bartomeu renuncie!”, gritavam várias centenas de torcedores do lado de fora do estádio Camp Nou na noite de terça-feira.

– Estou muito chateada, para mim o Barça é o Messi e o Messi é o Barça. Eles são a mesma coisa, ele é o símbolo do Barça… Eles deveriam erguer um monumento no Camp Nou. Não acho que isso (saída) deveria ser permitido – disse à agência inglesa de notícias Reuters Joana Polo, de 80 anos, usando uma máscara facial do Barcelona, na quarta-feira, nos arredores do Camp Nou.

A decisão do atacante argentino levou mais turbulência ao clube menos de duas semanas depois da derrota humilhante por 8 a 2 para o Bayern de Munique na Liga dos Campeões.

– É uma afronta enorme. Nunca pensei que isso fosse acontecer … você pode sofrer derrotas nos esportes, mas não posso lidar com a saída de Messi – disse Oriol, de 40 anos. “Vamos defendê-lo até a morte. Ele não é culpado. A culpa está na diretoria (do Barcelona).”

“Guerra total!”, estampou o jornal Sport em sua primeira página referindo-se à situação.

O clube

Messi, que foi eleito o melhor jogador do mundo pelo recorde de seis vezes, ficou cada vez mais frustrado nos últimos 12 meses com a forma como o clube está sendo administrado por Bartomeu. Ele criticou os dirigentes do clube por obrigar os jogadores a reduzir seu salário para lidar com o revés financeiro durante a pandemia de coronavírus.

Albert, de 28 anos, outro torcedor descontente do Barça, disse à Reuters: “Eles estão fazendo as coisas mal há muito tempo e esse cara (Messi) se cansou de não ter um projeto, de não manter a filosofia que tínhamos … e ele disse que basta.”

– A única situação válida no momento é ele (Bartomeu) renunciar.

Depois que o Barça perdeu o título do Campeonato Espanhol para o Real Madrid em julho, Messi classificou o time como “fraco” e “vulnerável” durante uma entrevista pós-jogo.

O Barcelona está em processo de reformulação de seu time após a derrota na Liga dos Campeões, e alguns meios de comunicação espanhóis informaram que o novo técnico Ronald Koeman disse que não pretende contar com o uruguaio Luis Suárez, amigo íntimo de Messi e seu parceiro de ataque.

Lionel Messi durante partida do Barcelona na Liga dos Campeões
Lionel Messi durante partida do Barcelona na Liga dos Campeões

Próximo passo de Messi

Quando o Barcelona confirmou ter recebido um pedido dos advogados de Lionel Messi informando que o argentino quer encerrar um dos relacionamentos mais duradouros do futebol, dirigentes dos maiores clubes da Europa esfregaram as mãos.

É como se a Mona Lisa de repente se tornasse disponível no mercado de arte, tal é o status de Messi no futebol, apesar de o jogador ter 33 anos e de sua magia estar suscetível a desaparecer em breve.

Alguns clubes já estão sendo apontados como próximo destino de Messi, sendo o mais provável, de acordo com casas de apostas, um reencontro com seu ex-técnico Pep Guardiola no Manchester City.

Fala-se também de Messi unir forças na Juventus com Cristiano Ronaldo, seu rival de longa data na disputa pelo título de melhor jogador do mundo, ou jogar novamente com Neymar no Paris Saint-Germain, numa tentativa do clube francês de buscar o título inédito da Liga dos Campeões.

Os proprietários chineses da Inter de Milão também veem Messi como o jogador para transformar a equipe de novo em uma força europeia.

Canais de esportes na TV e mídias sociais estavam fervilhando, nesta quarta-feira, com a decisão bombástica de Messi de deixar o Barça.

No entanto, apesar da comoção inevitável, não é certo de que Messi terá várias opções, caso a saída do argentino do gigante catalão, onde chegou na adolescência em 2001, seja mesmo confirmada.

Messi insiste que uma cláusula em seu contrato permite que ele saia de graça, um cenário que atrairia um frenesi de pretendentes.

O Barcelona, porém, afirma que a cláusula expirou, e qualquer interessado precisaria pagar uma rescisão de 700 milhões de euros para levar Messi.

Se o Barcelona se mantiver firme, isso tirará a maioria dos compradores em potencial do jogo, especialmente com a demanda salarial de 1 milhão de euros por semana de Messi.

Os homens de marketing apontarão para uma avalanche de vendas de camisetas e merchandising que Messi garantiria, sem falar que seus fãs ao redor do mundo aumentariam a base de torcedores do clube.

Finanças à parte, há um ponto de interrogação ainda maior pairando sobre Messi. Ele estaria em decadência?

Parece rude sugerir isso de um jogador que continua sendo o coração de um dos maiores clubes da Europa, o qual ajudou a ganhar mais de 30 troféus, mas nenhum na última temporada.

No entanto, seus 31 gols em todas as competições na última temporada, impressionantes para os padrões comuns, não foram excepcionais. Afinal, é um jogador que detém o recorde de 444 gols no Campeonato Espanhol. Ele já marcou 79 gols em um calendário anual e é o único jogador a marcar mais de 40 gols por seu clube em 10 temporadas consecutivas.

Negociação de contrato de Guardiola

O técnico do Manchester City, Pep Guardiola, tem menos de um ano de contrato com o clube, mas o presidente do City, Khaldoon Al Mubarak, disse que não espera que as conversas com o espanhol para uma renovação sejam complicadas e que acredita que elas ocorrerão naturalmente.

Bicampeão do Campeonato Inglês, Guardiola é próximo do diretor de futebol do City, Txiki Begiristain, e de seu executivo-chefe, Ferran Soriano, que trabalharam todos juntos no Barcelona.

Khaldoon disse que, pela maneira como o City opera nos bastidores, a situação contratual de Guardiola será resolvida “naturalmente”.

– Temos um tal entendimento, eu e Pep, o ecossistema que temos entre Txiki, Ferran, o clube inteiro, que esta conversa com Pep é uma conversa natural – disse Khaldoon em uma entrevista ao site oficial do time.

– Pep e eu temos um entendimento muito claro do que é certo para o clube e o que não é. Temos um alinhamento claro em termos de onde vemos o futuro e o que queremos em termos de sucesso para o clube. Mais uma vez, acho que será uma conversa tranquila e que sairá da melhor maneira para Pep, para mim e para o clube.

Apesar das críticas que Guardiola recebeu por suas táticas cautelosas na derrota para o Olympique de Lyon na Liga dos Campeões, não se insinuou que a hierarquia do City perdeu confiança no espanhol, que deu dois troféus da liga inglesa à equipe desde que assumiu seu comando, em 2016.

Parece, isto sim, que caberá essencialmente a Guardiola decidir quanto tempo fica no time.

– Temos as pessoas certas envolvidas. Temos a confiança certa um no outro – disse Khaldoon.