Três são presos na Itália ; rede recrutava terroristas suicidas em Milão

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado sexta-feira, 28 de novembro de 2003 as 16:28, por: CdB

A polícia italiana prendeu três supostos terroristas, entre eles uma mulher, sob a acusação de terem recrutado pelo menos cinco dos responsáveis pelos ataques suicidas no Iraque, informou nesta sexta-feira a Justiça da cidade de Milão, no norte da Itália.

A polícia procura agora outros dois acusados de pertencer à célula terrorista de Milão, que se reunia na mesquita da cidade e tinha ramificações por todo o norte da Península Itálica, sobretudo na região do Vêneto.

Os cinco suspeitos são acusados de “terrorismo internacional” e entre eles está Mahous Abderrazak, um argelino de 30 anos conhecido como “O Xeque”, considerado pelos investigadores italianos um membro importante da Al-Qaeda.

Abderrazak foi preso nesta sexta em Hamburgo, na Alemanha, onde já havia sido detido em julho deste ano e logo depois liberado por falta de provas.

Alguns dos terroristas do atentado de 11 de setembro de 2001 em Nova York e Washington faziam parte de uma célula terrorista de Hamburgo já há muitos anos, que era liderada pelo egípcio Mohammed Atta, o terrorista que comandou o primeiro avião que explodiu contra as Torres Gêmeas.

A polícia italiana suspeita que a célula islâmica desmantelada, cuja sede era em Milão, mas que tinha ramificações em toda a Itália, constituía uma verdadeira “rede de suicidas” para os ataques no Iraque.

Segundo os investigadores italianos, os militantes foram treinados na Síria, sob o comando de Mollah Fouad, e na Turquia, em particular na região de Istambul.

As investigações realizadas em Milão revelaram que foram encontrados no Iraque documentos sobre os “mártires da guerra” que andaram pela Itália antes de cumprir sua missão.