Tribunal da Coreia do Sul aumenta pena de ex-presidente Park

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 24 de agosto de 2018 as 10:51, por: CdB

A Suprema Corte de Seul concluiu que Park e uma amiga, Choi Soon-sil, receberam dezenas de bilhões de wons de grandes conglomerados para ajudar a família de Choi

Por Redação, com Reuters – de Seul

Um tribunal de apelação da Coreia do Sul condenou a ex-presidente Park Geun-hye a 25 anos de prisão nesta sexta-feira, em um caso desencadeado por um amplo esquema de corrupção que a tirou do poder em 2017.

Ex-presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, em tribunal de Seul

Park se tornou a primeira líder sul-coreana eleita democraticamente a ser retirada do cargo depois que o Tribunal Constitucional aprovou um pedido de impeachment contra ela, resultado de um escândalo que também levou os chefes de dois conglomerados empresariais à prisão.

A Suprema Corte de Seul concluiu que Park e uma amiga, Choi Soon-sil, receberam dezenas de bilhões de wons de grandes conglomerados para ajudar a família de Choi e financiar fundações sem fins lucrativos de sua propriedade, segundo documentos da corte.

– Tais negócios antiéticos entre o poder político e o poder financeiro afetam a essência da democracia e distorcem a ordem da economia de mercado, dando ao povo uma sensação grave de perda e desconfiança profunda em nossa sociedade – disse o juiz encarregado, Kim Mun-suk, em sua decisão. “Uma penalidade rigorosa é inevitável”.

A corte também multou Park, filha de um ex-ditador militar, em 20 bilhões de wons por considerá-la culpada de acusações como abuso de poder, suborno e coerção.

Um tribunal inferior havia condenado Park há 24 anos de prisão em abril. Procuradores recorreram da decisão em busca de uma pena mais rigorosa. Park abriu mão de recorrer.