Tropas do Afeganistão ameaçam fazer ofensiva se Talebã não interromper ataques

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 9 de março de 2020 as 13:06, por: CdB

 

Por Redação, com Sputnik – de Cabul

O ministro da Defesa do Afeganistão, Asadullah Khalid, declarou neste domingo que as forças afegãs farão ofensiva a menos que o movimento Talebã interrompa seus ataques nos próximos dias.

O Talebã e Washington assinaram um acordo de paz que estipulava a retirada de tropas estrangeiras do território afegão 
O Talebã e Washington assinaram um acordo de paz que estipulava a retirada de tropas estrangeiras do território afegão

– As forças afegãs ocuparão uma posição defensiva sob o decreto do presidente Ashraf Ghani e conforme o acordo de paz. Mas se o Talebã não interromper seus ataques antes do final da semana, nossas forças atacarão o inimigo em qualquer lugar do país – disse Khalid.

Em 7 de março, seis membros do Talebã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) foram mortos e outros 10 ficaram feridos em confrontos com policiais locais na província oriental de Laghman.

No sábado passado, o Talebã e Washington assinaram um acordo de paz que estipulava a retirada de tropas estrangeiras do território afegão nos próximos 14 meses em troca de garantias de que o país não se tornaria um porto seguro para terroristas.

Tiroteio

Pelo menos 27 pessoas morreram e 55 ficaram feridas durante tiroteio na última sexta-feira num encontro em Cabul, capital do Afeganistão, que contou com a presença de Abdullah Abdullah, chefe do governo afegão, e outras autoridades que não ficaram feridas.

– Após o ataque, o serviço de ambulâncias de Cabul transportou 27 mortos e 55 feridos para os nossos hospitais – disse o porta-voz do Ministério da Saúde Pública, Wahidullah Mayar.

O tiroteio, cuja autoria é desconhecida, começou quando o presidente do Conselho Superior da Paz, Karim Khalili, fez um discurso por ocasião do aniversário da morte do líder da comunidade xiita hazara Abdul Ali Mazari, disse o Ministério do Interior do Afeganistão.

– Todas as autoridades de alto nível foram retiradas com segurança do local do ataque – explicou Marwa Amini, porta-voz do Ministério do Interior.

Um porta-voz dos talebãs, Zabihullah Mujahid, rejeitou a autoria do ataque na rede social Twitter.

– O ataque no encontro em Cabul não tem nada relacionado com os combatentes do Emirado Islâmico (como os talebãs se autodenominam), salientou Mujahid.

No ano passado, também durante um evento para o aniversário da morte de Mazari em que Abdullah estava presente, pelo menos onze pessoas morreram e outras 95 ficaram feridas num ataque com morteiros, reivindicado pelo Estado Islâmico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *