Tropas da Síria retomam cidades em poder de facções islâmicas

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 2 de janeiro de 2018 as 14:05, por: CdB

Horas depois, os soldados leais ao governo sírio recuperaram outras duas localidades da mesma província, Nayha e Um al Jalajil

Por Redação, com EFE – de Beirute:

As tropas sírias recuperaram nesta terça-feira quatro cidades que estavam controladas por facções islâmicas na província de Idlib, no noroeste do país, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

As tropas sírias recuperaram nesta terça-feira quatro cidades que estavam controladas por facções islâmicas

As forças governamentais retomaram primeiramente o controle dos povoados de Sham al Haua e Al Zurur, que são estratégicos por estarem situados em um aclive de onde se pode avistar os arredores com clareza.

Horas depois, os soldados leais ao governo sírio recuperaram outras duas localidades da mesma província, Nayha e Um al Jalajil. As informações são da agência de notícias EFE.

Os combates foram retomados hoje nos arredores da cidade de Idlib entre o Organismo de Libertação do Levante, aliança formada em torno da ex-filial da Al Qaeda, e as tropas sírias, após uma pausa de 24 horas.

Com estes últimos avanços, as forças governamentais recuperaram o controle de 65 povoados e cidades de Idlib desde o início da campanha para retomar a província, no último dia 22 de outubro, segundo o observatório. Quase toda Idlib está sob o controle de facções islâmicas.

Guerra contra EI

Pelo menos 3.298 civis morreram e outros 4.781 ficaram feridos no Iraque em 2017, sem contar os dados da província de Ambar (oeste), a última a ser libertada do grupo jihadista Estado Islâmico (EI), informou nesta terça-feira a Organização das Nações Unidas (ONU).

Em dezembro morreram 69 civis e outros 142 ficaram feridos; o que faz desse mês o menos sangrento desde o começo das estatísticas das Nações Unidas, em novembro de 2012.

A ONU advertiu em comunicado que essa estatística deve ser considerada como um “mínimo absoluto”; já que não pôde verificar o número de mortes em certas áreas; entre elas as que estavam controladas pelos jihadistas.

No último dia 9 de dezembro, o primeiro-ministro iraquiano, Haider al Abadi; anunciou que o exército tinha retomado o controle da fronteira com a Síria; o último reduto do EI no país.

O grupo jihadista irrompeu no país em 2014 e conquistou amplas partes do norte; oeste e centro do Iraque, estendendo seus domínios até perto de Bagdá.

Ao longo de 2017 as forças iraquianas, com apoio da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos; arrebataram dos terroristas os últimos territórios que controlavam, entre eles a cidade de Mossul; capital da província de Ninawa, com cerca de dois milhões de habitantes.