Trump ataca votação em comício de campanha para reeleição

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 19 de dezembro de 2019 as 10:52, por: CdB

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, repudiou a votação de impeachment contra ele na Câmara dos Deputados na quarta-feira.

Por Redação, com DW – de Washington

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, repudiou a votação de impeachment contra ele na Câmara dos Deputados na quarta-feira, mas garantiu que os republicanos do Senado impedirão seu afastamento.

Presidente dos EUA, Donald Trump, durante comício em Battle Creek, no Michigan
Presidente dos EUA, Donald Trump, durante comício em Battle Creek, no Michigan

– Este impeachment fora da lei e partidário é uma marcha de suicídio político do Partido Democrata – disse Trump em um comício de sua campanha de reeleição no Michigan, enquanto a Câmara dos Deputados, controlada pelos democratas, votava a favor de seu impedimento.

As garantias

A votação do impeachment lançou uma sombra sobre Trump, que é muito preocupado com a imagem, colocando-o entre somente quatro de 45 presidentes que enfrentaram uma possível deposição através de um impeachment. Só um, Richard Nixon, de fato deixou o cargo, e o fez antes de uma votação de impeachment acontecer na Câmara.

As garantias do líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, de que a Casa controlada pelos republicanos não o condenará em um julgamento no início do ano que vem confortaram pouco Trump, que vem se queixando que a “repugnante” palavra impeachment está sendo associada a ele.

No Michigan, Estado que o ajudou a vencer a eleição presidencial de 2016 e que será crucial na votação do próximo novembro, Trump expressou orgulho pelo fato de os republicanos da Câmara terem se unido na oposição ao impeachment e de três democratas também terem votado contra ele.

Trump disse que a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e os democratas impuseram a si mesmo uma “marca eterna de vergonha”. Dezenas de milhões de pessoas comparecerão no ano que vem para reverter o controle democrata da Câmara e “escorraçar Pelosi do cargo”, disse.

– São eles que deveriam ser impedidos, cada um deles – afirmou ele a respeito dos democratas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *