Trump instrui Marinha a atacar e afundar qualquer barco do Irã que ‘hostilizar’ navios dos EUA

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 22 de abril de 2020 as 10:49, por: CdB

O presidente norte-americano, Donald Trump, deu luz verde à Marinha dos Estados Unidos para atacar e afundar pequenas embarcações militares iranianas se começarem a hostilizar navios militares estadunidenses.

Por Redação, com Sputnik – de Washington

O presidente norte-americano, Donald Trump, deu luz verde à Marinha dos Estados Unidos para atacar e afundar pequenas embarcações militares iranianas se começarem a hostilizar navios militares estadunidenses.

Trump instrui Marinha a 'abater e destruir' qualquer barco do Irã
Trump instrui Marinha a ‘abater e destruir’ qualquer barco do Irã

A declaração de Trump foi feita nesta quarta-feira em sua conta no Twitter.

– Eu instruí a Marinha dos Estados Unidos a abater e destruir todos e quaisquer barcos de guerra iranianos se hostilizarem nossos navios no mar.

A Marinha dos EUA reclamou em várias ocasiões que as chamadas lanchas iranianas se aproximaram perigosamente de seus destróieres e navios petroleiros que patrulham a região do golfo Pérsico.

Navios de guerra norte-americanos

No dia 15 de abril, militares norte-americanos relataram que um grupo de 11 navios da Marinha do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês) do Irã hostilizou navios de guerra norte-americanos no norte do golfo Pérsico.

– As embarcações da Marinha do IRGC cruzaram repetidamente as proas e popas dos navios dos EUA a uma distância extremamente curta e em altas velocidades – disse um comunicado do Comando Central da Marinha dos EUA, acrescentando que alguns passaram a 50 metros do navio expedicionário USS Lewis B. Puller e a 10 metros de um barco da Guarda Costeira americana.

Disparos de navios de guerra norte-americanos contra embarcações militares iranianas podem potencialmente levar a uma nova rodada de tensões entre os dois países, após quatro meses de ambos os Estados terem acabado à beira de um conflito militar aberto.

A última escalada ocorreu depois que a Força Aérea dos EUA matou o general iraniano Qassem Soleimani em um ataque aéreo no Iraque em 3 de janeiro de 2020.