Trump diz que não aprovará acordo do TikTok se ByteDance mantiver controle

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tablet & Celulares, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 21 de setembro de 2020 as 11:17, por: CdB

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta segunda-feira que não aprovaria a venda do TikTok para a Oracle e o Walmart se a ByteDance continuar como controladora do aplicativo.

Por Redação, com Reuters e Sputnik – de Washington/Pequim

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta segunda-feira que não aprovaria a venda do TikTok para a Oracle e o Walmart se a ByteDance continuar como controladora do aplicativo.

Trump, disse nesta segunda-feira que não aprovaria a venda do TikTok para a Oracle e o Walmart se a ByteDance continuar como controladora
Trump, disse nesta segunda-feira que não aprovaria a venda do TikTok para a Oracle e o Walmart se a ByteDance continuar como controladora

– Se descobrirmos que eles não têm controle total, então não vamos aprovar o acordo … Estaremos observando-o de muito perto – disse Trump à Fox News em entrevista.

ByteDance

A ByteDance disse nesta segunda-feira que os negócios globais do TikTok se tornarão sua subsidiária, embora a Oracle e o Walmart tenham afirmado no fim de semana que eles e investidores norte-americanos teriam participação majoritária do aplicativo após um acordo com o presidente dos EUA, Donald Trump.

Trump assinou um decreto em 14 de agosto dando à ByteDance 90 dias para vender o TikTok, em meio a preocupações de que os dados pessoais de até 100 milhões de norte-americanos que usam o aplicativo pudessem ser repassados ao governo do Partido Comunista da China. No sábado, ele disse que apoiava um acordo que permitiria o TikTok continuar operando nos Estados Unidos.

Os relatos sobre o negócio diferem. A ByteDance disse nesta segunda-feira que possuirá 80% do TikTok Global, uma empresa norte-americana recém-criada que será proprietária da maioria das operações do aplicativo em todo o mundo. A Oracle e o Walmart, que concordaram em adquirir participações no TikTok Global de 12,5% e 7,5% respectivamente, disseram no sábado que a participação majoritária do TikTok estaria em mãos norte-americanas.

A ByteDance em seu comunicado nesta segunda-feira disse que era um “boato” que investidores norte-americanos seriam proprietários majoritários do TikTok Global. A Oracle se recusou a comentar sobre a declaração da ByteDance, enquanto o Walmart não respondeu a um pedido de comentário.

Investidores norte-americanos

Algumas fontes próximas do acordo procuraram amenizar a discrepância apontando que 41% da ByteDance já são de propriedade de investidores norte-americanos, portanto, ao contar essa propriedade indireta, o TikTok Global seria majoritariamente detida por partes dos EUA. Uma das fontes disse que o acordo com a Oracle e o Walmart avalia o TikTok Global em mais de US$ 50 bilhões.

O TikTok também confirmou os planos para uma oferta pública inicial do TikTok Global. A empresa de Pequim disse que o conselho de diretores do TikTok Global incluirá o fundador da ByteDance, Zhang Yiming, bem como o presidente-executivo do Walmart, Doug McMillon, e os atuais diretores da ByteDance. A empresa não quis comentar sobre quem mais estaria entre os diretores.

Facebook é acusado de espionar usuários

Facebook foi processado por uma usuária do Instagram, que assegura que a empresa espiou os usuários através das câmeras dos iPhones, informa a Bloomberg.

Segundo a demanda apresentada por uma usuária do Instagram, o aplicativo foi utilizado para coletar “informações lucrativas e valiosas sobre os usuários”.

De acordo com a demanda, apresentada por Brittany Conditi no Tribunal do Distrito Norte da Califórnia, EUA, o acesso intencional à câmera dos dispositivos móveis permitiu ao Instagram coletar “informações lucrativas e valiosas sobre seus usuários, a quais de outro modo não teria acesso”.

Por sua vez, o Facebook negou as acusações e atribuiu o fato a um erro que, segundo um porta-voz, provocou notificações falsas de que o Instagram estava acessando as câmeras do iPhone, relata The Independent.

“Apenas acessamos sua câmera quando solicitado, por exemplo, quando você altera do Feed para câmera. Encontramos e estamos corrigindo um erro no iOS 14 Beta, que indica erroneamente que algumas pessoas estão usando a câmera quando não estão”, afirmou o porta-voz.

Coletar dados

Outras denúncias foram feitas no dia 13 de agosto, quando o Instagram foi processado por supostamente coletar dados biométricos de mais de 100 milhões de usuários daquela plataforma especializada em compartilhamento de fotos e vídeos.

A demandante, Kelly Whalen, afirma que o Instagram coleta, salva e se beneficia dos dados biométricos dos usuários sem exigir sua permissão prévia e até mesmo sem informá-los sobre isso.

Segundo o documento, o Facebook só no início deste ano passou a informar os usuários do Instagram sobre a coleta dos dados biométricos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *