Trump testa negativo para o novo coronavírus, apesar do contato com brasileiros

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 15 de março de 2020 as 14:10, por: CdB

O teste veio dias após Trump ter se reunido com uma delegação do Brasil que teve pessoas posteriormente diagnosticadas com o vírus. Trump foi fotografado em encontro na Flórida com o chefe da Secretaria de Comunicação Social do Brasil, Fábio Wajngarten, que depois teve resultado positivo em um teste de coronavírus.

Por Redação, com Reuters – de Washington

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, teve resultado negativo em teste para coronavírus, disse seu médico, Sean Conley, em comunicado na noite passada. O presidente norte-americano confirmou, na sexta-feira, que faria o teste para o vírus, que já matou cerca de 5,8 mil pessoas pelo mundo, e recebeu o resultado na noite de sábado, segundo memorando divulgado pela Casa Branca.

Wajgarten também esteve próximo do presidente norte-americano, Donald Trump, quando já estava contaminado com o novo coronavírus
Wajgarten também esteve próximo do presidente norte-americano, Donald Trump, quando já estava contaminado com o novo coronavírus

O teste veio dias após Trump ter se reunido com uma delegação do Brasil que teve pessoas posteriormente diagnosticadas com o vírus. Trump foi fotografado em encontro na Flórida com o chefe da Secretaria de Comunicação Social do Brasil, Fábio Wajngarten, que depois teve resultado positivo em um teste de coronavírus.

Exposição

“Uma semana depois de jantar com a delegação brasileira em Mar-a-Lago, o presidente permanece livre de sintomas”, disse Conley em seu memorando.

“Estou em contato diário com o Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e a Força-Tarefa de Coronavírus da Casa Branca, e estamos incentivando a implementação de todas as suas melhores práticas para redução de exposição e mitigação da transmissão”, acrescentou.

Em meio ao esforço dos norte-americanos para retardar a disseminação do vírus, que mata principalmente pessoas mais velhas, escolas foram fechadas, assim como museus, e muitas pessoas foram incentivadas a trabalhar de casa e praticar “distanciamento social”.

O vírus matou mais de 50 norte-americanos. Ele já infectou mais de 154 mil pessoas em todo o mundo, das quais 5,8 mil já morreram desde dezembro, quanto surgiu na China Central.