Tucano de alta plumagem é indiciado por corrupção passiva

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 16 de janeiro de 2018 as 16:42, por: CdB

Com os recursos fraudados, o tucano teria pagado despesas da campanha de 2014; até mesmo dívidas que ficaram pendentes até 2015, segundo a acusação.

 
Por Redação – de São Paulo

 

Procurador-geral de Justiça do Ministério Público de São Paulo, o promotor Gianpaolo Smanio apresentou, nesta segunda-feira, denúncia contra o deputado estadual Fernando Capez (PSDB). Um dos tucanos mais conceituados junto a4 direção nacional da legenda, Capez agora responde à acusação de corrupção passiva e lavagem de dinheiro; no caso conhecido como “máfia da merenda”.

Alesp
O tucano Fernando Capez é investigado na Operação Alba Branca

Os crimes que lhe são atribuídos foram descobertos há dois anos, na Operação Alba Branca, da Polícia Civil. Os investigadores detectaram desvios em contratos da Secretaria de Educação do governo Geraldo Alckmin (PSDB) e em prefeituras. Capez, que também é procurador licenciado do Ministério Público paulista, presidiu a Assembleia Legislativa até o ano passado.

O dinheiro desviado do Estado (R$ 1,11 milhão) é o equivalente a 10% dos contratos. Com os recursos fraudados, o tucano teria pagado despesas da campanha de 2014; até mesmo dívidas que ficaram pendentes até 2015, segundo a acusação.

Alto risco

Além de Capez, foram denunciadas outras oito pessoas. Dois são ex-assessores de seu gabinete; dois integrantes da Secretaria de Educação e quatro homens ligados à Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar (Coaf), sediada em Bebedouro (SP). Entre eles também está o lobista Marcel Ferreira Julio. Ele fechou acordo de delação premiada e denunciou todo o esquema.

Devido ao foro especial de Capez, caberá ao Órgão Especial do Tribunal de Justiça decidir se recebe a denúncia. E se abre ação penal contra ele, tornando-o réu.
Smanio também pediu a suspensão imediata do mandato de Capez e de suas funções como procurador de Justiça.

“Não bastasse o risco à ordem pública gerado pelas condutas do denunciado Fernando Capez, não se pode olvidar que os poderes inerentes aos cargos ocupados podem ser indevidamente utilizados por ele para constranger testemunhas e conturbar a colheita da prova”, escreveu o promotor.

Às feras

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), por sua vez, disse nesta manhã que “cabe a ele se defender”; referindo-se ao companheiro de chapa na última campanha eleitoral. Jogou o tucano às feras.

— Aberta a denúncia, caberá a ele se defender e provar. O que é importante destacar desse episódio foi que o governo do Estado descobriu. Nós descobrimos, nós apuramos, nós denunciamos. O deputado Fernando Capez tem dito que ele não tem nenhum envolvimento com isso, que o nome dele foi usado indevidamente e o importante é que isso se esclareça: quem é inocente seja liberado, quem tiver responsabilidade seja punido — disse Alckmin em evento da Secretaria de Educação.

Capez nega as acusações.

— O que não existe não pode ser provado — concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *