Turquia decide que bloqueio da Wikipedia viola liberdade de expressão

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 26 de dezembro de 2019 as 10:30, por: CdB

O bloqueio existe desde abril de 2017 devido a registros no site que acusavam a Turquia de ter ligações com organizações terroristas.

Por Redação, com Reuters – de Ancara/Pequim

O Tribunal Constitucional da Turquia decidiu nesta quinta-feira que um bloqueio no acesso à enciclopédia online Wikipedia naquele país é uma violação da liberdade de expressão, informou o site de notícias Haberturk.

Tribunal turco decide que bloqueio da Wikipedia viola liberdade de expressão
Tribunal turco decide que bloqueio da Wikipedia viola liberdade de expressão

A decisão abre caminho para que o bloqueio do site seja retirado, disse Haberturk. O bloqueio existe desde abril de 2017 devido a registros no site que acusavam a Turquia de ter ligações com organizações terroristas.

Empresas chinesas

A China se opõe veementemente à proposta de defesa dos EUA, para 2020, contra empresas chinesas e fez um apelo ao governo norte-americano para que deixe de lado seu viés político e estabeleça condições favoráveis a empresas chinesas, afirmou nesta quinta-feira o Ministério do Comércio da China.

A China vai monitorar de perto a situação e defenderá os interesses das empresas chinesas, disse Gao Feng, porta-voz do ministério, em uma entrevista coletiva à imprensa.

ByteDance

A empresa chinesa de mídia social ByteDance não tem planos de vender parte ou todo o seu aplicativo TikTok, disse na terça-feira o chefe da pequena plataforma de vídeo, negando uma reportagem na mídia que dizia que a empresa estava avaliando opções para fazê-lo devido a preocupações dos EUA.

A Bloomberg informou na segunda-feira que a empresa estava considerando uma venda de participação da TikTok.

– De tempos em tempos, você pode ler histórias na mídia que não são verdadeiras. Hoje há uma reportagem imprecisa alegando que a ByteDance considerou vender parte ou a totalidade do TikTok – disse Alex Zhu, em uma nota interna da empresa vista pela agência inglesa de notícias Reuters.

– Nós afirmamos ‘on the record’ que não era verdade, mas eles decidiram publicá-la de qualquer maneira. Quero garantir que não tivemos discussões com potenciais compradores da TikTok, nem pretendemos.

Uma porta-voz da ByteDance se recusou a comentar a nota interna, mas reiterou que “não houve discussões sobre qualquer venda parcial ou total do TikTok”.

– Esses rumores são completamente sem mérito – acrescentou.

A ByteDance tem procurado salvaguardar o TikTok, popular entre adolescentes nos Estados Unidos, de muitas de suas operações chinesas para garantir às autoridades reguladoras dos EUA que os dados pessoais mantidos pelo aplicativo são armazenados de forma segura nos EUA e não serão comprometidos pelas autoridades chinesas.

O Comitê de Investimentos Estrangeiros nos EUA, que analisa acordos de adquirentes estrangeiros quanto a possíveis riscos à segurança nacional, está analisando a compra de 1 bilhão de dólares do aplicativo de mídia social Musical.ly da ByteDance em 2017, que lançou as bases para o rápido crescimento do TikTok, informou à Reuters.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *