Turquia condena cinco réus à prisão perpétua por assassinato de Andrei Karlov

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 9 de março de 2021 as 14:43, por: CdB

O tribunal da Turquia responsável pelo caso envolvendo o assassinato do embaixador russo Andrei Karlov em Ancara sentenciou à prisão perpétua nesta terça-feira cinco suspeitos de envolvimento com o crime.

Por Redação, com Sputnik – de Ancara

O tribunal da Turquia responsável pelo caso envolvendo o assassinato do embaixador russo Andrei Karlov em Ancara sentenciou à prisão perpétua nesta terça-feira cinco suspeitos de envolvimento com o crime.

Turquia condena cinco réus à prisão perpétua por assassinato de diplomata russo

De acordo com um correspondente da agência russa de notícias Sputnik presente na audiência, três entre os cinco condenados foram apontados como responsáveis diretos pelo assassinato do diplomata russo.

No início da sessão, os 19 acusados ​​dirigiram-se ao tribunal com suas últimas alegações, e todos eles se recusaram a admitir culpa e exigiram a absolvição.

Os ex-funcionários

Os ex-funcionários do Escritório de Tecnologia da Informação e Comunicações da Turquia Sahin Sogut, que, segundo a investigação, era o mandante do assassino do diplomata russo, e Huseyin Kotuce foram sentenciados à prisão perpétua. Além disso, os ex-policiais turcos Salih Yillmaz e Ahmet Kilicaslan, e o ex-chefe da o departamento da Organização Nacional de Inteligência da Turquia (MIТ, na sigla em turco) para trabalhar com a Rússia, Vehbi Kursad Akalin, receberam a mesma pena.

Outros nove acusados foram condenados a penas de entre cinco e 15 anos de prisão, enquanto cinco foram absolvidos. Já os casos envolvendo nove acusados que estão foragidos, entre eles o clérigo opositor Fethullah Gulen, foram apresentados em processos separados a pedido do Ministério Público da Turquia.

Karlov foi morto a tiros em 19 de dezembro de 2016 na abertura da exposição fotográfica “Rússia de Kaliningrado a Kamchatka através dos olhos de um viajante” em Ancara. Segundo as autoridades turcas, o ataque foi cometido pelo policial Mevlut Mert Altintas, que foi abatido pelas forças de segurança.

As acusações foram feitas contra 28 suspeitos, incluindo Gulen, que nega o seu envolvimento. A acusação indica que o assassinato de Karlov foi uma provocação destinada a prejudicar as relações entre Rússia e Turquia.

O julgamento do caso do assassinato do embaixador russo começou em 8 de janeiro de 2019.