Twitter vai doar US$ 1 bilhão para combate a efeitos do covid-19

Arquivado em: Destaque do Dia, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 8 de abril de 2020 as 11:21, por: CdB

O presidente-executivo do Twitter, Jack Dorsey, vai doar US$ 1 bilhão de sua participação na empresa de pagamentos Square para ajudar nos esforços de combate aos efeitos da pandemia de coronavírus.

Por Redação, com Reuters – de Bangalore

O presidente-executivo do Twitter, Jack Dorsey, vai doar US$ 1 bilhão de sua participação na empresa de pagamentos Square para ajudar nos esforços de combate aos efeitos da pandemia de coronavírus.

Presidente do Twitter vai doar US$ 1 bilhão para combate a efeitos do covid-19
Presidente do Twitter vai doar US$ 1 bilhão para combate a efeitos do covid-19

Em uma série de tuítes, Dorsey afirmou que a quantia representa cerca de 28% de sua fortuna e será doada para o fundo de caridade que criou, Start Small, que vai concentrar suas atenções sobre renda básica universal e saúde e educação de meninas.

Dorsey, que por anos manteve privados seus esforços de caridade, afirmou que todas as doações para e do fundo serão tornadas públicas.

O executivo, cuja fortuna é avaliada em US$ 3,3 bilhões pela Forbes, afirmou ainda que está doando sua participação na Square em vez de no Twitter porque ele possui uma parcela maior da empresa de meios de pagamento.

Zoom enfrenta processo

A Zoom Video Communications Inc se deparou com uma ação coletiva por um de seus acionistas na terça-feira, que acusa o aplicativo de videoconferência de exagerar seus padrões de privacidade e de não divulgar que seu serviço não era criptografado de ponta a ponta.

O acionista Michael Drieu alegou em um processo judicial que uma série de reportagens recentes da mídia destacando as falhas de privacidade no aplicativo de Zoom fizeram as ações da empresa, que haviam se recuperado por vários dias no início do ano, despencar.

Os papéis fecharam em queda de 7,5%, a US$ 113,75 na terça-feira. Eles perderam quase um terço do seu valor de mercado desde que atingiram altas recordes no final de março.

O presidente-executivo da Zoom, Eric Yuan, pediu desculpas aos usuários na semana passada, dizendo que a empresa havia ficado aquém das expectativas quanto a privacidade e segurança da comunidade e estava tomando medidas para corrigir os problemas.

A Zoom está tentando solucionar problemas de segurança, pois registra milhões de novos usuários em todo o mundo, uma vez que as pessoas são forçadas a trabalhar em casa depois que bloqueios foram impostos para retardar a propagação do coronavírus.

Tentando solucionar problemas

No entanto, a empresa está enfrentando uma reação dos usuários preocupados com a falta de criptografia de ponta a ponta das sessões de reunião e o “zoombombing”, onde convidados indesejados entram em reuniões.

A SpaceX, empresa de foguetes de Elon Musk, proibiu recentemente seus funcionários de usar o Zoom, citando “preocupações significativas de privacidade e segurança”, enquanto o gabinete de Taiwan disse às agências governamentais que parassem de usar o aplicativo.

A Zoom não respondeu a um pedido da agência inglesa de notícias Reuters de comentar, depois do horário comercial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *