Uber suspende serviço depois de nova restrição em Barcelona

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 31 de janeiro de 2019 as 11:48, por: CdB

Entre as medidas tomadas pelo governo catalão esta a regra que determina que as empresas de transporte por aplicativo somente poderão recolher passageiros depois de um atraso de pelo menos 15 minutos em relação ao horário que eles fizeram o pedido do carro.

Por Redação, com Reuters – de Barcelona

A Uber anunciou nesta quinta-feira suspensão de serviço em Barcelona depois que o governo local aprovou normas que limitam como empresas do setor operam na cidade, em uma decisão que também fez a rival espanhola Cabify suspender suas atividades na região

A Uber anunciou nesta quinta-feira suspensão de serviço em Barcelona

Entre as medidas tomadas pelo governo catalão esta a regra que determina que as empresas de transporte por aplicativo somente poderão recolher passageiros depois de um atraso de pelo menos 15 minutos em relação ao horário que eles fizeram o pedido do carro.

– As novas restrições aprovadas pelo governo catalão nos deixa sem escolha além de suspender o UberX enquanto avaliamos nosso futuro em Barcelona – afirmou um porta-voz da companhia norte-americana.

Longo prazo

– Estamos comprometidos em ser um parceiro de longo prazo para as cidades espanholas e esperamos trabalhar com o governo catalão e com a câmara da cidade sobre uma regulamentação justa para todos – acrescentou a empresa.

A Uber começou a oferecer o serviço UberX em março do ano passado. As novas regulamentações foram impostas após pressão dos motoristas de táxi da cidade, que promoveram protestos em Barcelona e continuam em greve em Madri.

Os taxistas em Madri ampliaram o protesto nesta semana ao bloquearem uma das principais artérias da cidade. As licenças para motoristas de aplicativos na Espanha são concedidas por autoridades locais e até agora o governo de Madri tem dito que não vai adotar as mesmas restrições decididas por Barcelona.

A Unauto VTC, uma associação de companhias de transporte na Espanha, afirmou que a decisão de Barcelona coloca em risco 3 mil empregos. A Uber não informou quantos motoristas trabalham para a empresa na cidade.

Cabify

A companhia espanhola de transporte urbano por aplicativo Cabify afirmou nesta quinta-feira que vai suspender operações em Barcelona a partir de sexta-feira depois que o governo local anunciou restrições sobre a atividade das empresas no setor.

Mais cedo, o Uber também anunciou suspensão de atividades na cidade, um dos centros turísticos mais importantes da Espanha.

Redes de 5G

A União Europeia está avaliando propostas que podem proibir o uso de equipamentos da Huawei em redes móveis da próxima geração, disseram quatro graduadas autoridades do bloco, intensificando a pressão internacional contra a maior produtora de equipamentos de telecomunicação do mundo.

Embora os esforços da UE ainda estejam em estágios iniciais e possam se provar complicados demais para implementar, a medida marca uma mudança na posição do bloco em meio a crescentes preocupações de segurança no Ocidente em relação à China.

Banir empresas chinesas como a Huawei seria provavelmente bem recebido pelos Estados Unidos, que têm tentado impedir empresas do país de comprar equipamentos de infraestrutura da Huawei e pressionado aliados para fazer o mesmo.

Especialistas de segurança dos EUA temem que os equipamentos possam ser usados pelo governo chinês para espionagem, uma preocupação que a Huawei chama de infundada.

Segundo quatro graduadas autoridades da UE, uma opção sendo considerada pela Comissão Europeia é alterar uma lei de 2016 sobre cibersegurança, que exige que empresas envolvidas em infraestruturas críticas tomem medidas de segurança apropriadas.

Ao modificar a definição de infraestrutura crítica para incluir a chamada quinta geração de redes móveis, a lei pode impedir empresas da UE de usarem equipamentos fornecidos por qualquer companhia ou país suspeito de usar seus equipamentos para espionagem ou sabotagem, segundo as autoridades.

Outras mudanças também podem ser pedidas, incluindo em regras de aquisição, disseram as autoridades.

As autoridades enfatizaram que mudanças não seriam motivadas por uma única empresa, mas por preocupações mais amplas de segurança nacional envolvendo a China.

Uma porta-voz da Huawei disse que a empresa está “comprometida a trabalhar com instituições europeias para desenvolver um padrão de cibersegurança para a Europa”, e que a inauguração de um novo centro de cibersegurança da empresa em Bruxelas em março reforça seu comprometimento com a Europa.

– A Huawei tem um histórico de cibersegurança limpo – disse a porta-voz. A empresa nega acusações de espionagem e sabotagem.

O governo chinês nega ter a intenção de espionar o Ocidente e tem classificado como infundada a proibição de fornecedoras chinesas de 5G nos Estados Unidos e na Austrália.

O embaixador da China para a União Europeia, Zhang Ming, levou uma mensagem similar a uma reunião com o comissário da UE para tecnologia, Andrus Ansip, na véspera, alegando que a Huawei não deveria ser banida de leilões de 5G na Europa.

A missão da China para a UE não pôde ser encontrada de imediato para comentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *