Ucrânia diz que conta com apoio da China para ‘conter a agressão da Rússia’

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 16 de abril de 2021 as 11:51, por: CdB

A chancelaria ucraniana comunicou que Kiev espera que a China se junte ao processo de “conter a agressão russa”. A declaração foi feita após consultas entre os vice-ministros das Relações Exteriores da Ucrânia e da China, Yevgeny Yenin e Le Yucheng, nesta sexta-feira.

Por Redação, com Sputnik – de Kiev

A chancelaria ucraniana comunicou que Kiev espera que a China se junte ao processo de “conter a agressão russa”. A declaração foi feita após consultas entre os vice-ministros das Relações Exteriores da Ucrânia e da China, Yevgeny Yenin e Le Yucheng, nesta sexta-feira.

Ucrânia diz que conta com apoio da China para ‘conter a agressão russa’

De acordo com a diplomacia ucraniana, Le Yucheng garantiu o apoio da China à independência, soberania e integridade territorial do país e expressou confiança na resolução de conflitos por meio de negociações.

“O vice-ministro informou seu colega chinês sobre o agravamento da situação de segurança nos territórios temporariamente ocupados da Ucrânia e o aumento de formações militares russas perto das fronteiras ucranianas. Yevgeny Yenin expressou a esperança de que a China se junte ao processo de contenção da agressão russa”, diz o comunicado.

Independência da Ucrânia

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia informou também que as partes discutiram as perspectivas de participação do alto representante da China nas comemorações do 30º aniversário da independência da Ucrânia.

Países ocidentais têm manifestado preocupação com a suposta intensificação das “ações agressivas” da Rússia na Ucrânia. Washington fez uma declaração sobre a escalada da “agressão russa” e o movimento das tropas russas na Crimeia e na fronteira oriental da Ucrânia.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, por sua vez, declarou que a Rússia está movendo tropas dentro de seu território e a seu próprio critério. Segundo ele, isso não representa nenhuma ameaça e não deve gerar quaisquer preocupações. Moscou afirmou repetidamente que não é parte no conflito interno ucraniano e espera a superação da crise política e econômica da Ucrânia.