UE libera Barcelona e Real Madrid de pagamento de impostos atrasados

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 26 de fevereiro de 2019 as 12:03, por: CdB

Nos últimos anos a vigilância da Comissão Europeia resultou em ordens para que multinacionais como Apple, Starbucks, Fiat Chrysler, Engie e Amazon pagassem bilhões de euros de impostos atrasados a vários países da UE.

Por Redação, com Reuters – de Bruxelas/Londres

Barcelona, Real Madrid e dois outros times de futebol da Espanha não terão que pagar impostos atrasados, já que um tribunal anulou nesta terça-feira um veredicto sobre ajuda estatal da União Europeia, um segundo revés para as agências reguladoras que tentam reprimir a sonegação fiscal.

Presidente do Barça, Josep María Bartomeu em evento no i Camp Nou em Barcelona

Nos últimos anos a vigilância da Comissão Europeia resultou em ordens para que multinacionais como Apple, Starbucks, Fiat Chrysler, Engie e Amazon pagassem bilhões de euros de impostos atrasados a vários países da UE.

Em seu veredicto de 2016, a agência do bloco que regulamenta a concorrência disse que Barcelona, Real Madrid, Atlético de Bilbao e Osasuna desfrutaram de uma taxa de imposto de 25 %  durante mais de 20 anos, menos do que os 30 %  das empresas esportivas, e que cada um dos clubes tinha que devolver até 5 milhões de euros.

A taxa de imposto mais baixa se deveu ao fato de os quatro serem tratados como organizações sem fins lucrativos, em vez de times de futebol profissionais com responsabilidade limitada.

Sediado em Luxemburgo, o Tribunal Geral disse que a Comissão cometeu vários erros na avaliação do caso e usou cifras que só cobriram quatro anos fiscais, enquanto o esquema se manteve de 1990 a 2015.

Manchester United enfrentará ‘motim’

Gary Neville advertiu que haverá “motim” entre os torcedores do Manchester United se a diretoria do clube não efetivar Ole Gunnar Solskjaer como treinador permanente em Old Trafford.

O impacto de Solskjaer em um time do United que trabalhava sob o comando de José Mourinho até dezembro passado superou as expectativas, com a equipe invicta por 10 partidas da Premier League e também garantiu um lugar nas quartas-de-final da Copa da Inglaterra.

– Não acho que você possa dar (o cargo) para outra pessoa, senão haveria um motim – disse o ex-zagueiro do United, que foi companheiro de equipe de Solskjaer no United entre 1996 e 2007, à Sky Sports.

– Os fãs estavam cantando para ele. Eu acho que está muito perto agora,  não consigo ver o clube ficando longe disso.

Lesões forçaram o norueguês a fazer as três substituições antes do intervalo no empate de domingo por 0 a 0 com o Liverpool, mas a torcida em Old Trafford cantou durante os 90 minutos, entoando o nome do treinador.

– Três meses atrás eles estavam cantando ‘ataque, ataque, ataque’ e hoje eles estavam cantando o nome de Ole Gunnar Solskjaer durante todo o segundo tempo – acrescentou Neville.

– O clima mudou completamente – a atmosfera foi uma das melhores que vi em Old Trafford durante anos e foi 0 a 0! Se o Manchester United tivesse marcado, teria sido incrível.

O United, que está a um ponto de alcançar o Arsenal pelo quarto lugar na tabela de classificação, deve visitar o Crystal Palace nesta quarta-feira.