União Europeia deve conceder novo adiamento do Brexit a premiê britânica

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 10 de abril de 2019 as 10:58, por: CdB

May solicitou que a UE adiasse a saída, prevista para sexta-feira, até 30 de junho, mas, em Bruxelas, uma “prorrogação mais flexível” até o final do ano ou março de 2020 estava em discussão, disseram diplomatas da UE.

Por Redação, com Reuters – de Bruxelas

A União Europeia vai conceder à primeira-ministra britânica, Theresa May, uma segunda extensão para o Brexit em uma cúpula emergencial nesta quarta-feira, mas os líderes vão debater uma prorrogação mais longa sob condições que impeçam futuros líderes britânicos de comprometerem o bloco.

Premiê britânica, Theresa May

No que Londres considerou uma humilhação nacional, May foi a Berlim e a Paris na véspera da cúpula para pedir à chanceler alemã, Angela Merkel, e ao presidente francês, Emmanuel Macron, que permitissem adiar a separação que deveria ter sido a “libertação” britânica.

May solicitou que a UE adiasse a saída, prevista para sexta-feira, até 30 de junho, mas, em Bruxelas, uma “prorrogação mais flexível” até o final do ano ou março de 2020 estava em discussão, disseram diplomatas da UE.

Essa alternativa permitiria que o Reino Unido deixasse a UE mais cedo se o impasse em torno do Brexit pudesse ser resolvido, embora a UE vá tentar estipular condições que impeçam qualquer sucessor de May de causar prejuízos à medida que a separação ocorre.

A França se opõe a uma extensão mais longa nesse ponto do processo, e, caso Londres queira uma, Macron pode exigir que May se comprometa juridicamente com uma garantia de que não irá causar problemas vetando decisões da UE.

Um rascunho das conclusões da cúpula visto pela agência inglesa de notícias Reuters disse que o Reino Unido receberá o novo prazo, mas sob certas condições. A data de saída estava em branco.

– O Reino Unido deve facilitar a realização das tarefas da União e abster-se de qualquer medida que possa comprometer a realização dos objetivos da União”, diz o esboço.

Um longo atraso para o Brexit colocaria em dúvida todo o processo de separação, abrindo espaço para um segundo referendo e eleições, enquanto condições adversas provavelmente levariam a um final mais rápido para a premiê May.

Líderes europeus temem que uma saída sem acordo nesta sexta-feira, às 19h (horário de Brasília), assuste os mercados financeiros, prejudique a economia de 16 trilhões de dólares da UE e afete negativamente o comércio global.

– Na minha opinião, uma pequena extensão não traria muito – disse Detlef Seif, porta-voz da UE para o grupo parlamentar de Merkel. “Não há apetite para voltar a um novo Conselho Europeu a cada seis semanas para decidir se renova a prorrogação.”

Theresa May

A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse que decidiu pediu aos líderes da União Europeia em uma cúpula nesta quarta-feira que adiem o prazo final do Brexit para 30 de junho, para que o Reino Unido deixe a UE de modo ordenado.

– O objetivo desta cúpula é concordar com uma prorrogação que nos dê mais tempo para chegar a um acordo para deixar a UE de uma maneira suave e ordenada – disse May a repórteres na reunião emergencial em Bruxelas.

Embora tenha dito que pediu uma prorrogação até 30 de junho, o Reino Unido poderia sair em 22 de maio, afirmou May, deixando o bloco para o que ela chamou de um “futuro mais promissor”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *