Velejador britânico desaparece no mar durante etapa da Volvo Ocean Race

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 27 de março de 2018 as 14:32, por: CdB

John Fisher, de 47 anos, competia com a equipe Sun Hung Kai/Scallywag na sétima etapa da prova, que vai de Auckland, na Nova Zelândia, a Itajaí, em Santa Catarina, e desapareceu em mares extremamente agitados na segunda-feira

Por Redação, com Reuters – de Londres/Detroit:

Um velejador britânico que participava da competição Volvo Ocean Race e que caiu no mar no sul do Oceano Antártico foi dado como morto, disseram organizadores nesta terça-feira.

Um velejador britânico que participava da competição Volvo Ocean Race e que caiu no mar no sul do Oceano Antártico foi dado como morto

John Fisher, de 47 anos, competia com a equipe Sun Hung Kai/Scallywag na sétima etapa da prova; que vai de Auckland, na Nova Zelândia, a Itajaí, em Santa Catarina, e desapareceu em mares extremamente agitados na segunda-feira.

O iate de quase 20 metros está a cerca de 1.400 milhas náuticas do Cabo Horn; e 1.200 milhas distante do ponto terrestre seguro mais próximo da América do Sul. Os competidores mais próximos se encontram a 200 milhas de distância a favor do vento.

Fisher, veterano da regata Sydney-Hobart nascido em Southampton; mas residente em Adelaide, estava em vigília e usava um equipamento de sobrevivência adequado.

Temperatura fria

– Dada a temperatura fria da água e o estado extremo do mar; além do tempo que já passou desde que ele caiu; agora precisamos presumir que ele se perdeu no mar – disse o presidente da corrida, Richard Brisius, em um comunicado.       

– A equipe está, claro, emocional e fisicamente esgotada depois do que acabou de vivenciar. Nosso único foco agora é dar todo o apoio e a assistência que pudermos à equipe – acrescentou.

A equipe Sun Hung Kai/Scallywag fez uma busca durante várias horas antes de seguir para o norte-leste com um clima cada vez pior e condições desafiadoras.

Um navio foi desviado e encaminhado ao local, mas continua a mais de um dia de distância.

Ex-reitor de universidade dos EUA

Procuradores do Estado norte-americano do Michigan denunciaram nesta terça-feira um ex-reitor de universidade; que supervisionava o médico no centro de um escândalo de abuso sexual de ginastas.

Em documentos legais apresentados ao tribunal estadual distrital de East Lansing; os procuradores disseram que uma aluna da Universidade Estadual do Michigan acusou William Strampel, ex-reitor da Faculdade de Medicina Osteopática de 70 anos; de contato sexual forçado.

Strampel supervisionava Larry Nassar, ex-médico da seleção norte-americana de ginástica; que foi condenado à prisão por abusar sexualmente de ginastas do sexo feminino. Strampel agora enfrenta acusações; que vão além do escândalo com atletas; e incluem ações impróprias dele com alunas de medicina.

O escândalo de Nassar reverberou muito além de Michigan; provocando investigações sobre a razão de o Comitê Olímpico dos Estados Unidos; a seleção norte-americana de ginástica e a universidade não terem investigado queixas de anos atrás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *