Venezuela condena prorrogação de medida dos EUA 

Arquivado em: América do Norte, América Latina, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 5 de março de 2022 as 11:04, por: CdB

Para o Ministério das Relações Exteriores venezuelano, a referida ordem executiva serviu apenas para a Casa Branca “materializar um bloqueio sistemático contra a Venezuela em todas as áreas”, violando os princípios das relações internacionais.

Por Redação, com Sputnik – de Caracas

O governo da Venezuela expressou sua rejeição após a extensão de uma medida executiva dos EUA que declara o país sul-americano uma ameaça à sua segurança nacional.

Venezuela condena prorrogação de medida dos EUA que a declara como uma ‘ameaça’

“A República Bolivariana da Venezuela repudia a última prorrogação da Ordem Executiva 13962, assinada pelo presidente dos Estados Unidos da América (Joe Biden), através da qual o governo daquele país insiste em apontar a Venezuela como uma ameaça à segurança nacional e à política externa dos Estados Unidos”, afirma um comunicado publicado pelo Ministério das Relações Exteriores.

As autoridades venezuelanas ainda denunciaram que a declaração “carece de apoio e evidências reais”.

Segundo a Casa Branca, “a situação na Venezuela continua a representar uma ameaça invulgar e extraordinária à segurança nacional e à política externa dos Estados Unidos”.

Para o Ministério das Relações Exteriores venezuelano, a referida ordem executiva serviu apenas para a Casa Branca “materializar um bloqueio sistemático contra a Venezuela em todas as áreas”, violando os princípios das relações internacionais.

“Distanciar da diplomacia”

A cada vez que a emergência é prolongada, o governo venezuelano lamenta a posição dos EUA, dizendo que os norte-americanos querem se “distanciar da diplomacia” e fazer parte “do modelo de agressão”.

O governo da Venezuela ratificou sua disposição em favor das relações diplomáticas entre os países, com base no reconhecimento mútuo.

A ordem executiva, emitida durante a administração do ex-presidente Barack Obama (2009-2017), propõe sanções e restrições de vistos para vários altos funcionários de inteligência e segurança venezuelanos.

Caro visitante, tendo em vista o risco de à agência russa de notícias Sputnik sofrer bloqueios na Internet, para você não perder nosso conteúdo se inscreva em nosso canal no Telegram.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code