Venezuela tem, hoje, a gasolina mais cara do mundo, segundo a Reuters

Arquivado em: Destaque do Dia, Energia, Últimas Notícias
Publicado domingo, 26 de abril de 2020 as 16:38, por: CdB

Muito em função dos subsídios, a gasolina vendida pela petrolífera estatal PDVSA – que detém o monopólio legal da venda de combustíveis – era vendida a apenas alguns centavos de dólar.

Por Redação, com Reuters – de Caracas

Os venezuelanos relataram pagar mais de US$ 2 por litro de gasolina (US$ 7,57 por galão) na semana, passada em meio a escassez de combustível, uma das taxas mais altas do mundo e uma reversão dramática para um país da Opep que se vangloriava de ter o combustível mais barato do mundo.

O litro da gasolina, na Venezuela, chega a ultrapassar os US$ 4 em algumas cidades
O litro da gasolina, na Venezuela, chega a ultrapassar os US$ 4 em algumas cidades

Muito em função dos subsídios, a gasolina vendida pela petrolífera estatal PDVSA – que detém o monopólio legal da venda de combustíveis – era vendida a apenas alguns centavos de dólar. “Os motoristas ofereciam aos trabalhadores dos postos de gasolina lanches ou algumas centenas de bolívares – menos de US$ 0.10 – em vez de pagamento”, revela uma reportagem da agência inglesa de notícias Reuters, neste domingo.

Mercado negro

A rede de refino de 1,3 milhão de barris por dia do país, no entanto, chegou à beira do colapso, há algumas semanas, devido às sanções dos Estados Unidos, que conspira pela queda do presidente Nicolás Maduro (PSUV). As medidas unilaterais dos EUA complicaram as importações de combustíveis, levando os venezuelanos a esperar horas nos postos de gasolina ou a recorrer ao caro mercado negro.

Octavio Salom, de 53 anos, disse que ele e outros pacientes renais na cidade de Puerto Ordaz, no leste do país, compraram 20 litros de gasolina a US$ 2 o litro para os enfermeiros que fazem o tratamento de diálise pegarem um táxi até a clínica.

— Eles nos disseram que se não pudéssemos garantir o transporte, eles não poderiam fazer diálise — disse Salom à agência inglesa de notícias.

“Na cidade de Maracaibo, os negociantes do mercado negro estão oferecendo 20 litros de gasolina por US$ 50, de acordo com uma testemunha da Reuters. Em algumas áreas, os venezuelanos relataram pagar até US$ 4 por litro”, continua a agência.

Irã

Estes valores cobrados, ainda de acordo com a reportagem, “está acima dos preços das bombas em Hong Kong, que segundo pesquisas tem a gasolina mais cara do mundo. A gasolina nos postos Royal Dutch Shell na cidade era vendida por US$ 2,15 por litro na quinta-feira, mostrou site da empresa”.

O aumento na Venezuela ocorre no momento em que os preços nas bombas estão caindo devido à queda da demanda em meio ao surto de coronavírus. Nos Estados Unidos, os preços médios eram de US$ 0,48 por litro (US$ 1,81 por galão) na semana encerrada em 20 de abril, de acordo com a Energy Information Administration.

A PDVSA não respondeu a uma solicitação de comentário feito pela Reuters. O governo da Venezuela está tentando reparar refinarias e nesta semana recebeu material de refino do Irã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *