Venezuela prende novos suspeitos de tentativa de invasão

Arquivado em: América do Norte, América Latina, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 11 de maio de 2020 as 11:07, por: CdB

Força Armada Nacional Bolivariana anunciou a detenção de mais oito pessoas suspeitas de participar de tentativa de invasão armada a partir do território da Colômbia no último dia 3.

Por Redação, com Sputnik – de Caracas

Força Armada Nacional Bolivariana anunciou a detenção de mais oito pessoas suspeitas de participar de tentativa de invasão armada a partir do território da Colômbia no último dia 3.

Venezuela prende mais 8 suspeitos de tentativa de invasão, incluindo sobrinho de general
Venezuela prende mais 8 suspeitos de tentativa de invasão, incluindo sobrinho de general

A apreensão dos suspeitos foi executada por militares venezuelanos com a ajuda de populares na zona de Petaquirito, no estado de La Guaira, no domingo.

Conforme informou o canal de TV Venezolana de Televisión, as oito pessoas, sendo uma delas mulher, são suspeitas de terem participado de frustrada tentativa de invasão armada em 3 de maio por via marítima desde o território da Colômbia até a Venezuela.

Alerta! Povo da Venezuela, a Pátria cresce! Sua Força Armada Nacional Bolivariana segue garantindo a Segurança da Nação. Capturamos hoje [10] nesta hora 8 terroristas mercenários. Felicitações à Região Estratégica de Defesa Integral da Capital e Central. Seguimos esquadrinhando e capturando os inimigos da Pátria!

Durante a tentativa de invasão, militares venezuelanos interceptaram lanchas e apreenderam 10 pessoas com armas.

Sobrinho de general ‘inimigo’ de Maduro

Entre os detidos no domingo, considerados mercenários pelo governo venezuelano, figura José Ángel Barreno Cordones, sobrinho do major-general desertor venezuelano Clíver Alcalá Cordones.

Recentemente, o ex-oficial Alcalá Cordones foi deportado para os EUA, a partir da Colômbia, após ser acusado de narcotráfico.

Sua deportação se deu após sua rendição na Colômbia às autoridades norte-americanas, reportou ainda em março o jornal colombiano El Tiempo.

Ainda de acordo com a mídia, o general é “inimigo” de Maduro e planejava contrabandear armas para a Venezuela para promover um golpe contra o presidente venezuelano.

“Muro inexpugnável”

A vice-presidente da Venezuela, Delcy Rodríguez, disse que a costa do país deve ser um “muro inexpugnável” para defender a soberania nacional.

O governo venezuelano vai criar um plano socioeconômico e de defesa especial para todos os povos da costa venezuelana, anunciou a vice-presidente do país, Delcy Rodríguez.

“O presidente (Nicolás Maduro) pediu à equipe do governo, aos vice-presidentes setoriais (…) um plano especial de atenção socioeconômica (e) defesa integral da nação para todos os povos do litoral”, disse ela durante uma reunião com o povo Chuao, no estado de Aragua, onde foram feitas detenções após a fracassada incursão marítima, relata o portal Notitotal.

“É um plano integral para toda a costa, que a costa seja nosso muro inexpugnável para a defesa da soberania nacional”, acrescentou ela no comunicado.

Prelúdio do anúncio

Na madrugada de 3 de maio, militares venezuelanos detectaram duas lanchas na costa norte, na área de Macuto, Estado de La Guaira, por meio das quais supostos mercenários estavam tentando se infiltrar em território venezuelano, segundo as autoridades.

No último dia 4, oficiais das Forças Armadas Bolivarianas e da polícia do Estado de Aragua, no norte, capturaram oito indivíduos na cidade de Chuao, que supostamente tinham estado envolvidos na incursão marítima.

Segundo o procurador-geral, Tarek William Saab, foram apreendidas seis caminhonetes, 10 pistolas, metralhadoras de grande calibre, para além de diversas munições.

O presidente venezuelano Nicolás Maduro disse ter as provas, testemunhos e vídeos de que este grupo treinou em território colombiano e foi financiado pela Colômbia e pelos Estados Unidos.

Segundo o chefe de Estado da Venezuela, o principal objetivo da incursão frustrada era assassiná-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *